Notícias

6/recent/ticker-posts

Em Pernambuco policiais rejeitam proposta do Governo e anunciam nova paralisação

 

Policiais Civis de Pernambuco rejeitaram a proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo do estado e decidiram, em assembleia realizada na noite desta terça-feira (02), deflagrar paralisação por 24h em todo o estado que se iniciará já nesta quarta-feira (03/07), a partir das 07h. A categoria também deliberou pela realização de uma nova operação padrão.

"Estamos sem estrutura, sem efetivo e com o pior salário do Brasil. Se não existe nenhum impedimento orçamentário, nenhum impedimento fiscal e ainda a segurança pública conta com investimentos bilionários, por que não contemplar os policiais civis? Diante dessa intransigência, os policiais civis decidiram na assembleia deflagrar uma nova paralisação por 24 horas e operação padrão. É inadmissível que uma das melhores policiais civis do país receba o pior salário e não tenha condições de trabalho." afirmou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE), Áureo Cisneiros.

De acordo com o Sindicato, ainda candidata, a atual governadora Raquel Lyra, assinou um termo de compromisso prometendo reestruturar e valorizar os policiais.

"Não podemos admitir estelionato eleitoral. Enquanto candidata prometeu tudo e agora, vivendo no Palácio, comendo caviar, esquece do policial trabalhador. Cadê o bilhão de Reais de investimentos alardeado aos quatros ventos? As delegacias estão mofadas, policiais pagam para trabalhar e fazem cotinhas para comprar água. Conseguiram piorar ainda mais a segurança pública e Pernambuco se tornou o estado mais violento do Brasil", disse Áureo.

Policiais Civis de Pernambuco rejeitaram a proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo do estado e decidiram, em assembleia realizada na noite desta terça-feira (02), deflagrar paralisação por 24h em todo o estado que se iniciará já nesta quarta-feira (03/07), a partir das 07h. A categoria também deliberou pela realização de uma nova operação padrão.

"Estamos sem estrutura, sem efetivo e com o pior salário do Brasil. Se não existe nenhum impedimento orçamentário, nenhum impedimento fiscal e ainda a segurança pública conta com investimentos bilionários, por que não contemplar os policiais civis? Diante dessa intransigência, os policiais civis decidiram na assembleia deflagrar uma nova paralisação por 24 horas e operação padrão. É inadmissível que uma das melhores policiais civis do país receba o pior salário e não tenha condições de trabalho." afirmou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE), Áureo Cisneiros.

De acordo com o Sindicato, ainda candidata, a atual governadora Raquel Lyra, assinou um termo de compromisso prometendo reestruturar e valorizar os policiais.

"Não podemos admitir estelionato eleitoral. Enquanto candidata prometeu tudo e agora, vivendo no Palácio, comendo caviar, esquece do policial trabalhador. Cadê o bilhão de Reais de investimentos alardeado aos quatros ventos? As delegacias estão mofadas, policiais pagam para trabalhar e fazem cotinhas para comprar água. Conseguiram piorar ainda mais a segurança pública e Pernambuco se tornou o estado mais violento do Brasil", disse Áureo.  

manhanordestina

 

Postar um comentário

0 Comentários