Notícias

6/recent/ticker-posts

Operação da PF apura fraude em licitação na prefeitura de Garanhuns

 

Cerca de 18 milhões foram movimentados em contratos com empresa supostamente de fachada nas áreas de educação e saúde

Policiais federais cumpriram na manhã desta quinta-feira (20) quatro mandados de busca e apreensão no Município de Garanhuns, em Pernambuco, durante a Operação Helvécia. Os alvos dos mandados foram a sede da Prefeitura do município, além das Secretarias de Finanças, de Saúde e de Educação. A investigação da PF pretende esclarecer dispensas de licitações realizadas entre a Prefeitura de Garanhuns e uma ONG, com indícios de ser de “empresa de fachada”, na prestação de serviços nas áreas de educação e saúde. Somados, os valores dos contratos chegam a aproximadamente 18 milhões de reais. quinta-feira, 20 de junho de 2024

Cerca de 18 milhões foram movimentados em contratos com empresa supostamente de fachada nas áreas de educação e saúde

Policiais federais cumpriram na manhã desta quinta-feira (20) quatro mandados de busca e apreensão no Município de Garanhuns, em Pernambuco, durante a Operação Helvécia. Os alvos dos mandados foram a sede da Prefeitura do município, além das Secretarias de Finanças, de Saúde e de Educação. A investigação da PF pretende esclarecer dispensas de licitações realizadas entre a Prefeitura de Garanhuns e uma ONG, com indícios de ser de “empresa de fachada”, na prestação de serviços nas áreas de educação e saúde. Somados, os valores dos contratos chegam a aproximadamente 18 milhões de reais.

Documentos e mídias foram apreendidos durante o cumprimento dos mandados, expedidos pelo TRF 5. Após a análise do material, será possível constatar se houve lavagem de dinheiro na celebração de dois contratos com dispensa de licitação, firmados no ano de 2023 – um na ordem de R$10 milhões e outro, de R$ 7,6 milhões. A empresa contratada pela Prefeitura de Garanhuns não possui empregados registrados e é presidida por uma pessoa que foi beneficiária de assistência social do Governo durante a pandemia, funcionando possivelmente como “laranja” no esquema de dispensa irregular de licitação. Agreste VI0I3NT0.

 

Postar um comentário

0 Comentários