Notícias

6/recent/ticker-posts

BR-423: duplicação da BR-423, iniciada em novembro, já está paralisada no Agreste de Pernambuco

 

Mal começaram, as obras de duplicação da BR-423, no Agreste de Pernambuco, já estão paralisadas. A ordem de serviço do primeiro trecho do projeto de adequação da capacidade viária da rodovia – que compreende 43,1 quilômetros entre os municípios de São Caetano e Lajedo, num investimento de R$ 330 milhões, previstos no Novo PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) – tinha sido assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro dos Transportes, Renan Filho, tendo ao lado a governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, em novembro de 2023.

A paralisação, inclusive, não foi divulgada publicamente pelo governo federal, mas quem circula no trecho da rodovia não vê nenhuma obra. O JC percorreu a BR e encontrou apenas vestígios do início da construção, como manilhas (tubos de concreto utilizados em construções de esgotos sanitários, industriais e pluviais) acumuladas em uma das margens da rodovia. Os equipamentos são referentes aos trabalhos de terraplanagem e drenagem.

Os únicos trabalhadores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), órgão federal responsável pela duplicação, encontrados pela reportagem estavam executando remendos paliativos na estrada – a famosa operação tapa-buraco. A medida, segundo informaram, é necessária para reduzir a insegurança da BR enquanto os trabalhos de duplicação não são retomados. Principalmente na época de festejos juninos, quando o volume de veículos circulando em direção a Garanhuns e para Caruaru aumenta significativamente.

A reportagem aguarda um retorno do DNIT sobre o tempo e as razões para a paralisação. O que foi apurado extraoficialmente é que a obra enfrentou problemas com o licenciamento ambiental, que estaria sendo resolvido para que os trabalhos possam ser reiniciados em breve.

ENTENDA A OBRA DE DUPLICAÇÃO DA BR-423

Os serviços de duplicação e adequação da BR-423 estão sendo executados pelo DNIT em 43,1 quilômetros da rodovia federal, do quilômetro 18,2 ao 61,3, com investimento previsto de R$ 330,3 milhões.

Todo o empreendimento, de 83,1 quilômetros, que liga São Caetano a Garanhuns, está incluído no Novo PAC. Em novembro de 2023,

quando a OS foi assinada com pompa pelo presidente Lula, a empresa vencedora da licitação já atuava no trecho com os trabalhos iniciais de instalação do canteiro de obras, mobilização da equipe e dos equipamentos e preparativos para dar a largada na execução de serviços de terraplanagem e drenagem, inicialmente nos primeiros 20 quilômetros.

O trecho da rodovia federal a ser duplicado é um dos principais acessos ao Agreste meridional de Pernambuco e via de escoamento da produção da bacia leiteira da região. A requalificação da rodovia deve impulsionar, ainda, o crescimento dos setores de serviços, turismo e comércio.

SEGUNDA ETAPA ESTARIA GARANTIDA, AFIRMOU UNIÃO NA ÉPOCA

Apesar de os trabalhos da primeira etapa da duplicação da BR-423 estarem paralisados, na época da assinatura da OS o governo federal garantiu que o segundo trecho, mais 40 quilômetros entre Lajedo e Garanhuns, teria início até o fim de 2024.

Durante a solenidade de assinatura, no Palácio do Planalto, o ministro dos Transportes, Renan Filho, afirmou que o edital do projeto da segunda etapa estava quase concluído e seria lançado em breve.

Por JC Online.

Postar um comentário

0 Comentários