OFERECIMENTO/ PROPAGANDA

Notícias

6/recent/ticker-posts

Caso Paloma: Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher aciona Polícia Civil e Ministério Público em busca de proteção à vítima

Pasta cobra do Estado medidas protetivas urgentes para a jovem, espancada no último dia 21 durante uma festa

A Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher de Belo Jardim protocolou, ontem (25), um ofício junto à Delegacia de Polícia Civil e ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pedindo providência em caráter de urgência para a jovem Paloma Juliana, espacanda pelo então namorado, no último dia 21. Ela sofreu várias fraturas após a agressão, durante uma festa na cidade.

A pasta cobra celeridade da Justiça para concluir o inquerito administrativo e punir o culpado perante a lei e também que a vitima receba do Estado acolhimento com medidas protetivas, baseadas na Lei Maria da Penha, nº 11.340/06. O dispositivo visa coibir a prática de violência doméstica e familiar, sendo a mulher a parte vulnerável e protegida pela legislação.

“Não pouparemos esforços para combater quaisquer ações de violência e crimes de ódio que buscam ofuscar as conquistas sociais alcançadas pelas mulheres. Essa mobilização continua em prol da segurança e de prestar ajuda emocional e jurídica a Paloma e a todas as vítimas de violência doméstica”, afirmou a titular da pasta, Luciene Gomes.

Ao tomar conhecimento do caso, a secretaria emitiu uma nota de repúdio e se colocou à disposição da vítima, dos familiares e de outras mulheres que precisem de ajuda e/ou queiram quebrar o silêncio. A pasta está localizada na Av. Cel. Geminiano Maciel, n° 522, bairro Aírton Maciel.

A falta de informação e o medo de estarem sozinhas estão entre as principais barreiras para que as mulheres vítimas de violência não busquem ajuda. Como contraponto, a Prefeitura de Belo Jardim disponibiliza na Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher, gratuitamente, psicólogas, assistentes sociais e advogadas para que as mulheres encontrem suporte para romper com o ciclo da violência.

Postar um comentário

0 Comentários