ÚLTIMAS NOTÍCIAS

"Belo Jardim está na UTI" alertam Gilvandro Estrela e Beto de Lulão em debate


"Belo Jardim está na UTI" alertam Gilvandro Estrela e Beto de Lulão em debate



Mais de 30 mil pessoas foram alcançadas com o debate em prol de uma discussão democrática em favor de Belo Jardim.

Adiado para este sábado (01/08), devido o suspeito incidente envolvendo o carro de coleta do lixo e um poste que fornece energia para a Rádio Bitury na semana passada, o programa Bitury Debate entrevistou Gilvandro Estrela (DEM) e Beto de Lulão (PT), pré-candidatos à Prefeitura de Belo Jardim.

Os outros dois convidados, Wilsinho Maciel (PTB) e Isabelle Mendonça (PSB), fugiram do debate sem enviar justificativas. A ideia era realizar o bate-papo com os quatro principais pré-candidatos, mas Wilsinho e Isabelle decidiram não participar. Um, por ser o pré-candidato do atual prefeito, Hélio dos Terrenos (PTB), e não ter argumentos para defender o péssimo governo que se instalou em Belo Jardim.

A outra, apontada pela população e políticos da cidade como a candidata “laranja” do ex-prefeito cassado e condenado, João Mendonça Jatobá (sem partido), que está impedido de disputar eleições por 13 anos por ter cometido diversos crimes contra a administração pública.

Sobre a ausência deles em prol de uma discussão democrática em favor de Belo Jardim, Gilvandro Estrela lembrou que um dos pré-candidatos chegou a declarar publicamente que a gestão interina de Gilvandro Estrela foi exitosa. “Um pré-candidato disse que não viria à rádio, pois não tinha credibilidade. Hoje, três anos depois quando, lá na Câmara, me fez uma moção de aplausos pela brilhante gestão”.


Da mesma maneira, o Democrata afirmou que “o povo sabe que votar em Wilsinho é votar em Hélio; assim como votar em Isabelle é votar em João. O cabra tem 38 processos, só em um pegou 37 anos de cadeia”, disparou Estrela. A principal abordagem do debate foi os três anos da gestão Hélio dos Terrenos.

Iniciando o diálogo, ambos foram taxativos ao criticarem a gestão de  Hélio dos Terrenos (PTB) eleito em 2017 com 18.948 votos, o que correspondeu a 46,06% dos votos válidos.  Gilvandro Estrela afirmou que a desastrosa gestão é por conta da “incompetência. Todo mundo elogiava quando ele era empresário do ramo de imóveis. [...] Ele vendeu a sua imagem, bem vendida, teve o apoio de Cintra Galvão e seus amigos, só que ele cresceu os olhos [...] Faltou pé no chão, respeito aos seus eleitores”.

Já Beto de Lulão, que integrou o atual governo e é  ex-secretário de agricultura, demonstrou sua insatisfação com Hélio dos Terrenos. “Vi muito dentro da prefeitura, como humilhação com seus funcionários. Pagar salário em dia é obrigação [...] Foram essas coisas que me afastaram da gestão e do amigo que eu achava ter. Mas, com cabeça erguida, eu saí. Ser direito, ser decente, a gente aprende na hora que nasce. Honestidade, a gente aprende com nossos pais”, disse Beto.


Mesmo concorrentes, os pré-candidatos presentes criticaram a escolha de Hélio dos Terrenos por apresentar Wilsinho Maciel como seu apadrinhado político, tendo em vista que foi justamente ele o secretário de finanças que deixou os servidores por meses com salários atrasados. “Não se admite que uma cidade como Belo Jardim não se pague uma folha salarial em dia”, rebate Gilvandro Estrela.

O primeiro tópico abordado foi a questão da saúde. Mais uma vez, Gilvandro e Beto afirmaram que Belo Jardim está em “uma UTI” e que a cidade necessita de requalificação". Gilvandro Estrela disse que “Nós temos uma das piores saúde do Brasil.  Qual foi o aparelho que o senhor comprou [...] para Belo Jardim? Não tem! O hospital de Belo Jardim para ser uma policlínica está muito distante, falta muito. O hospital é velho, está sucateado, temos que construir um hospital novo. Tenho um líder que tem prestígio nacional, que é Mendonça Filho, e bastante influência. Cidade do porte de Belo Jardim não ter médico cirurgião plantonista, isso é uma vergonha [...], infelizmente a saúde está capenga”, Gilvandro Estrela.

Os pré-candidatos febateram sobre diversos assuntos como folha salarial (atrasos na saúde, educação, repasses), afirmaram que Hélio é o “gestor das obras inacabadas”; ambulância do Samu; Guarda Municipal militarizada; Homem do Campo; Educação; Falta de aquisição de Ônibus escolares; Pátio da Feira sem luz e banheiros públicos completamente deteriorados.


Sobre as constantes e frequentes Fake News, Gilvandro Estrela rebateu e mandou um recado para João Mendonça Jatobá. “Estou sendo acusado por uma pessoa que não pode votar e nem ser votado. [...] Fui absolvido em todos os processos. Eu moro na minha casa há 36 anos eu não tenho casa em cima de Serra, não tenho apartamento na beira mar [...] eu vivo do meu trabalho, eu sou professor aposentado, sou advogado. Ninguém tem o direito de dizer que sou desonesto. O povo cansou desses gestores que dilapidam o patrimônio público. O povo cansou das mentiras [...]”, desabafou Gilvandro Estrela.

O debate durou cerca de duas horas e contou com ampla participação da população por meio das redes sociais da emissora, do BJ1 e de outros blogs da cidade. Chegando a alcançar mais de 30 mil pessoas.


Finalizando a entrevista, ambos agradeceram a oportunidade e disseram estar preparados para debaterem em qualquer lugar, em qualquer meio de comunicação, a qualquer momento. Confira o debate na íntegra:

Nenhum comentário