ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Moradora de Belo Jardim, Suzanna Dias conta como capacitação mudou sua vida


Empreendedora participou do programa Ela Pode, que tem apoio da Secretaria do Trabalho estadual


Suzanna Dias, 38 anos, passou por uma verdadeira reviravolta na vida em 2020. Antes do início da pandemia, ela e o marido Alexandre tinham planos totalmente diferentes para realizar neste ano. O projeto do casal era abrir uma empresa de energia solar, a RECSUN, com o dinheiro do apartamento vendido em 2019. O isolamento social e a crise econômica mudou tudo, mas ela não desistiu. Suzanna é uma das mulheres que chama a atenção na História das empreendedoras pernambucanas. Ela Pode! E Ela Pode duplamente, depois de participar deste programa que empodera mulheres, capacita e promove intercâmbios. A ação no Estado já tem novas turmas marcadas para os dias 23 e 30 de junho, 02, 09 e 16 de julho, com apoio da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (SETEQ).

Para Lúcia Costa, multiplicadora do Ela Pode pela SETEQ, as mulheres têm um talento além do que imaginam, como Suzanna, e podem despertá-los nos cursos on-line que serão abertos a partir da próxima terça-feira de Vendas; Vendas e Finanças, Liderança, Vendas e Finanças; Autoimagem, Networking e Ferramentas Digitais. (Veja os detalhes no quadro abaixo).


"Cada uma delas já pode e muitas vezes ajudamos e incentivamos a enxergarem suas competências e qualidades adormecidas. Eu tenho a honra de aprender com elas, com as pernambucanas empoderadas e competentes”, declarou Lúcia, que conheceu a vitória de Suzanna.

De acordo com Suzanna, o mês de maio passado foi decisivo para a construção de uma nova experiência. Ela e o marido deram uma pausa nos planos da RECSUN e abriram um frangorífico para venda de frango e derivados no município de Belo Jardim, tanto a delivery, como presencialmente. Foi a forma de manter um lugar ao sol diante da crise.


O novo negócio de Suzanna, chamado de Varejão do Frango, localizado num município do Agreste, destaca-se pela novidade, por oferecer delivery, pela higiene e pelo respeito aos clientes. Mas ela não pára de buscar conhecimento para melhorá-lo.

Indagada por que se inscreveu no Ela Pode, se já estava preparada, a empreendedora respondeu: “eu vi a notícia do programa num noticiário de televisão e pensei: 'eu vou me inscrever, sou mulher e empreendedora', disse. Segundo Suzanna, participar do Ela Pode, ao lado de outras mulheres que buscam conhecimento, “foi fundamental para ajudar na questão do planejar, do executar”. Ela acrescentou. “Por mais que eu tivesse feito uma consultoria, eu tinha muita coisa que fazia de cabeça. O Ela Pode me incentivou, me motivou a fazer tudo baseada em planejamento, me deu orientação em área de finanças, me ensinou a jornada do cliente e a jornada que eu tenho que fazer como empreendedora”.

Suzanna era bibliotecária e revisora de texto antes de abrir o próprio negócio. O marido dela trabalhava com carteira assinada numa empresa em Belo Jardim como engenheiro, mas aderiu ao sonho dela e decidiu ser empreendedor. Ele persiste na ideia de investir na energia solar, tanto quanto Suzanna, e ambos já conseguiram clientes para a empresa RECSUN. Mas o frangorífico é algo perene. “ A gente já abriu com a pegada digital e delivery. Optamos por um negócio essencial que não fechasse, que tivesse pleno atendimento ao público. Todo recurso para investimento da gente veio da venda de um apartamento que tínhamos no Recife. Foi algo muito de Deus. Eu costumo dizer que nosso frangorífico está bem porque o cliente está voltando”, contou, orgulhosa.


De acordo com Suzanna, um aspecto forte no seu perfil é a busca incessante por aprendizado. Todos os sonhos dela e do esposo ganharam asas no Armazém da Criatividade, na Startup Weekend, em Caruaru, e subiram aos céus com pesquisa de mercado, aulas no Sebrae e cursos de capacitação, como o Ela Pode, criado pela Rede Mulher Empreendedora e com apoio do Google e da Seteq. “Eu fui aprendendo ao longo da trajetória”.

O secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação, Alberes Lopes, é um dos entusiastas do programa que, mesmo na pandemia, encontrou formas de se reinventar e continuar ajudando as mulheres. “Tenho visto muitos testemunhos de pessoas que se capacitam e sempre elas têm algo em comum: a descoberta de um sonho ou resgate dele”.

Um comentário:

  1. Nossa, que batalha! Que orgulho! Foi ótimo poder ver esse projeto sendo criado. Como já falei antes, Suzanna e o esposo vão crescer muito ainda!

    ResponderExcluir