ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro faz culto de Páscoa com líderes religiosos: “Lutamos acreditando em Deus”



O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com líderes religiosos na tarde deste domingo (12) para celebrar a Páscoa a partir do Palácio da Alvorada. O encontro foi realizado através de uma videoconferência devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Em seu discurso, Bolsonaro lembrou do milagre vivido por ele em 6 de setembro de 2018, quando foi atingido por uma facada em Juiz de Fora (MG). “Tenho certeza que por Deus e pelas mãos dos médicos eu fui salvo, bem como pelas orações de milhões de pessoas”, afirmou.

O presidente citou ainda um segundo milagre, o que chamou de “milagre da eleição”. “Vejo aqui na minha frente alguns que já foram políticos e essas pessoas sabem como é a política no Brasil. O perfil para chegar à presidência não era o meu”, observou.

Bolsonaro ainda revelou que o slogan “Brasil acima de tudo” nasceu do ambiente militar, mas o complemento “Deus acima de todos” foi dito pela primeira vez em um discurso aos evangélicos.

“Há seis anos eu estava em um evento no Congresso Nacional com vários parlamentares. De repente chegou um pastor dizendo que eu deveria falar. Eu fiquei bolando o que falar para 20 mil evangélicos. Confesso que quando eu falei ‘Brasil acima de tudo’ eu não sabia como complementar, e alguma coisa dentro de mim mandou eu falar ‘Deus acima de todos’”, contou o presidente.

“A responsabilidade é muito grande, a cruz é muito pesada, mas com milhões de pessoas ao meu lado, que têm o coração verde e amarelo, que creem em Deus e acreditam no País, podemos vencer esse obstáculo”, declarou. “Sempre lutamos acreditando em Deus acima de tudo”.

“Feliz Páscoa! Que nós, cada vez mais, nos entreguemos nas mãos do nosso Criador”, finalizou Bolsonaro.

O encontro foi mediado por Íris Abravanel, esposa do fundador do SBT, Silvio Santos. No início da reunião, ela falou sobre a Páscoa celebrada pelos judeus no Egito, antes do êxodo em direção a Canaã.

“A Páscoa tem que ser lembrada todos os dias. Devemos lembrar que nós temos uma promessa, que iremos chegar a Terra Prometida, e que Deus é fiel para cumprir as promessas Dele”, disse Íris.

Mais de 7 mil pessoas acompanharam ao vivo na transmissão da TV Brasil pelo YouTube e outras 18 mil nas redes sociais da presidência.

Líderes evangélicos, católicos e judeus participaram da celebração de Páscoa, como o apóstolo Luiz Hermínio, pastor Marco Feliciano, bispo Eduardo Bravo, pastor Josué Valandro Jr., apóstolo Estevam Hernandes, pastor Silas Malafaia, bispo Abner Ferreira, pastor Samuel Câmara, bispo J.B. Carvalho, pastor Teófilo Hayashi, missionário R.R. Soares, bispo Rodovalho, apóstolo Renê Terra Nova, pastor André Valadão, padre Reginaldo Manzotti, dom Fernando Antônio Figueiredo e rabino Leib Rojtenberg.

Os momentos de louvor contaram com a participação de bispa Sônia, Eyshila, André Valadão, Ministério Atitude, Adriana Arydes e padre Reginaldo Manzotti.
Luiz Hermínio agradeceu a Bolsonaro por responder ao seu pedido de jejum, realizado por cristãos de todo o Brasil no último domingo (5). “Jesus morreu a nossa morte para que pudéssemos viver a Sua vida. Deus está batizando a nossa nação de temor. O homem que teme a Deus tem direção em sua vida. Existe um segredo guardado no coração de Deus que é liberado para todo aquele que O teme”, afirmou.

Silas Malafaia também falou sobre o significado da Páscoa e comentou o atual cenário. “Desde o início desta pandemia eu tenho liberado alguma palavra: não vamos ter em nosso país uma desgraça de morte, os profetas do caos ficarão envergonhados. Eu declaro, na autoridade do nome de Jesus, que dentro de pouco tempo o Brasil vai usufruir de um tempo de prosperidade que nunca aconteceu na nossa história”.

“Em meio a toda essa luta, a ressurreição existe. Existe um Deus que tem todo o poder, um Cristo capaz de nos tirar das trevas e nos trazer para a luz da vida eterna”, disse o pastor  Josué Valandro Jr. “Louvo a Deus por um presidente que nos permite reunir lideranças evangélicas e católicas para declarar que Jesus Cristo está vivo”.

O pastor e deputado federal Marco Feliciano concordou com Malafaia. “Semana passada o Brasil todo parou para um tempo de jejum, e tudo isso moveu os céus do Brasil”, disse ele, observando mudanças nos últimos dias, como a aceitação da hidroxicloroquina como medicação para combater o coronavírus.

“O senhor presidente nunca negou uma oração, seja no avião ou no hotel, por causa do temor”, destacou Feliciano sobre viagens realizadas na companhia de Bolsonaro.

Representando a geração mais jovem, o pastor Téo Hayashi falou sobre a mensagem de perdão e graça de Cristo. “Esse Jesus que vivo está, que continua exercendo poder, compaixão e perdão, é o Jesus a quem estamos clamando. Por favor Jesus, estenda Sua graça a misericórdia sobre o Brasil. Eu tenho esperança no Brasil porque o amor de Deus não tem fim sobre a nossa nação; as misericórdias de Deus são inesgotáveis sobre o território brasileiro”.

O padre Reginaldo Manzotti falou às famílias que estão celebrando a Páscoa em suas casas: “Você que está em casa faça, as pazes com Deus. Deus não mandou essa pandemia, Ele a permitiu. E se Ele permitiu, Ele sabia que o homem poderia tirar algo de proveitoso dela. Que essa situação possa nos fazer pessoas melhores e um Brasil melhor. Que nessa estadia em casa, com todas as limitações, relacionamentos podem ser resgatados, vidas podem ser restauradas e a presença de Deus pode ser despertada em nós”, disse.

O rabino Leib Rojtenberg explicou sobre o significado da Pessach e dos símbolos que representam a Páscoa judaica. “Hoje estamos em uma situação que nunca foi vivenciada na nossa geração; uma grande praga tem mudado nossa rotina e nosso modo de pensar”, afirmou. “A mensagem é muito clara: em meio a uma geração em que tudo é instantâneo, conversas são escassas. A mão de Deus conseguiu entrar e parou o mundo inteiro e colocou todos nós na mesma situação: dentro de casa.

Nenhum comentário