CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Tecnologia do Blogger.

Argentina bate a Venezuela e pega o Brasil na semifinal da Copa América




Lá vem a Argentina!
Vai acontecer: teremos um Brasil x Argentina na semifinal da Copa América. E no Mineirão, o palco do famigerado 7 a 1. Os argentinos se classificaram com uma vitória por 2 a 0 sobre a Venezuela, na tarde desta sexta-feira, no Maracanã. Os gols foram marcados por Lautaro Martínez, no comecinho do jogo, e Giovanni Lo Celso, no segundo tempo, quando a Venezuela era melhor na partida. Sim, o time de Messi (que teve atuação discreta como meia) passou por alguns apuros e contou com uma falha do goleiro Fariñez para matar o jogo e garantir a classificação.

The Voice Argentina!
Demorou, mas aconteceu: Lionel Messi cantou o hino argentino antes do jogo. Sabemos que, para alguns, isso pode parecer insignificante. Mas vocês não têm noção da polêmica que era na Argentina essa coisa de Messi não cantar o hino. Sempre lembrando: ele foi levado para Barcelona com 14 anos e muitos argentinos o veem como um "espanhol". Em entrevista em dezembro de 2015, Messi declarou: "Não canto o hino de propósito. Não muda nada para mim, cada um sente da sua maneira".


Primeiro tempo
A Argentina começou melhor, buscando o gol desde o início, e abriu o placar aos 9, com Lautaro Martínez desviando de letra um chute torto de Agüero. Foi só o segundo gol tomado no torneio pela Venezuela, que demonstrou dificuldade para jogar em adversidade, com problemas na armação. A Argentina, posicionada no 4-4-2 (com meio-campo em formação losango, tendo Messi à frente, com liberdade), passou a explorar os contra-ataques e esteve mais perto do segundo gol do que a Venezuela do empate.

Segundo tempo
A Argentina voltou ainda mais fechada, disposta a explorar apenas os contra-ataques. A Venezuela foi ganhando terreno. Aos 10, o técnico Dudamel tirou o zagueiro Mago e colocou o atacante Soteldo, do Santos (recuando o volante Herrera para a zaga). O time venezuelano passou a ter mais a posse de bola. O problema era no chamado terço final do campo - faltava qualidade para furar o bloqueio argentino e finalizar. A melhor chance foi aos 25, com Hernández - Armani fez boa defesa. Quando a Venezuela mais jogava, a Argentina ACHOU o segundo gol numa falha de Fariñez, que espalmou chute fraco de Agüero na mão de Lo Celso.


Estatísticas
Posse de bola: Venezuela 53% x 47% Argentina
Finalizações: 6 x 13
Chances reais de gol: 2 x 5
Cabeçadas: 2 x 1
Escanteios: 8 x 7
Faltas: 16 x 15
Impedimentos: 1 x 1
Fonte:GE