ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Papa Francisco motiva bispos argentinos a acompanhar jovens e pobres


Na recente visita ad limina do terceiro e último grupo dos bispos argentinos no Vaticano, o Papa Francisco lembrou-lhes a importância de acompanhar especialmente os jovens e os mais pobres do país. 

O grupo, que chegou a Roma no dia 12 de maio, é formado pelos bispos das regiões do centro e noroeste da Argentina, o Cuyo e a Patagônia.

Durante o encontro com o Papa, realizado em 16 de maio, os bispos entregaram-lhe uma carta manifestando suas preocupações, diagnóstico e esperanças sobre a realidade da Igreja.

No texto, os bispos pediram a Deus que "ilumine os candidatos" nas próximas eleições presidenciais, provinciais e municipais.

Também recordaram a recente beatificação dos mártires de La Rioja, destacaram a celebração dos 500 anos da primeira missa em território argentino, em abril de 2020, e o caminho jubilar para celebrar os 400 anos do encontro da imagem da Virgem do Vale de Catamarca.

Após o encontro, o arcebispo de San Juan de Cuyo, Dom Jorge Lozano, manifestou em uma coletiva de imprensa que o Santo Padre encorajou-os a "fortalecer a escuta, a dedicação e o tempo aos necessitados", assim como o acompanhamento "particularmente aos jovens da Argentina".

Em relação à realidade pastoral, "o Santo Padre nos motivou a ser testemunhas da fé, aprofundando a sinodalidade na vida da Igreja".

Além disso, afirmou, "exortou-nos a observar os organismos", onde "convergem o diálogo, as vocações pastorais e o acompanhamento, alimentados pela diversidade de vozes".

Os pastores também foram motivados a viver a alegria no serviço à Igreja, proveniente da "alegria na santidade, da 'classe média da santidade', ou seja, da quantidade de pessoas boas que há, daquele que faz o bem sem interesses, que vai construindo o Reino de Deus através deste testemunho”.

O Santo Padre também lhes advertiu que "o rancor guardado nos corações de muitas pessoas e as fofocas na vida interna da Igreja, representam aqueles aspectos que geram dor".

Quanto à situação atual do país, os bispos destacaram "a necessidade de unir corações, ânimos e visão para superar e incentivar, como pastores, a partir da espiritualidade, o diálogo e a aceitação mútua, vivendo como ‘ irmãos em uma mesma pátria’, pacificando os corações”.

O terceiro grupo de bispos argentinos já realizou a tradicional peregrinação ao túmulo de São Pedro e continuará com a agenda marcada nos diferentes dicastérios.

A visita ad limina apostolorum da Conferência Episcopal Argentina começou em 29 de abril e terminará em 18 de maio.

Esta é a primeira vez que os bispos argentinos são recebidos pelo Papa Francisco. A visita anterior foi há 10 anos, quando o Papa Emérito Bento XVIestava no pontificado.
Fonte: ACIDigital