ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cidade de Brejo da Madre de Deus, no Agreste, é beneficiada com água do Rio São Francisco


As obras do  Ramal do Brejo da Madre de Deus - uma  etapa da Adutora do Agreste - estão em ritmo acelerado para levar água do Rio São Francisco para o município, um importante polo turístico de Pernambuco, mundialmente conhecido pelo espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. O empreendimento é mais um projeto pensado pelo governador Paulo Câmara para fortalecer o desenvolvimento do interior, levando mais água para os municípios.  A Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa está com três frentes de trabalho para dar agilidade à obra, que já está 50% concluída.

A força-tarefa é uma determinação do governador Paulo  Câmara para evitar que os moradores do município enfrentem novos períodos de escassez de água. “O Ramal de Brejo é a maior obra hídrica da história do município e mostra o quanto o governador tem investido para dar segurança hídrica aos municípios do Agreste que, historicamente, sofrem com a estiagem”, afirmou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Localizado na região do Agreste, a 195 km do Recife, o município conta com apenas uma fonte de abastecimento, a barragem de Santana, que tem capacidade de armazenamento de 570 mil  metros cúbicos de água  e está apenas com 22% de sua capacidade. Para livrar essa área do déficit histórico de água, a Compesa projetou o Ramal de Brejo da Madre de Deus que consiste na construção de uma adutora de 35 quilômetros de extensão que se conecta, em Belo Jardim, à Adutora do Agreste, para levar água do Rio São Francisco para Brejo da Madre de Deus.

A obra começou em julho  do ano passado e dos 35  quilômetros de adutora, já foram assentados  18 quilômetros. Uma das frentes de trabalho está localizada às margens da PE 145, entre o município de Brejo da Madre de Deus e do distrito de Barra de Farias; as outras duas se encontram entre os povoados de Serra dos Ventos (Belo Jardim) e Barra de Farias (Brejo da Madre de Deus).

Com investimento da ordem de R$ 34 milhões, a expectativa é que a obra termine em julho deste ano. "Já comunicamos esse prazo para o governador Paulo Câmara e para a Secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista", adianta o presidente Roberto Tavares. Além de Brejo, serão beneficiados os distritos de Barra de Farias e Fazenda Nova, ambos localizados em Brejo, e Itaúna (que fica em Caruaru, mas é vizinho de Fazenda Nova). No total, 30 mil pessoas serão beneficiadas com a água da transposição do Rio São Francisco que percorrerá cerca de 175 quilômetros até chegar à casa dos moradores dessas localidades. A captação ocorre na Barragem do Moxotó, situada no distrito de Rio da Barra, em Sertânia, e de lá segue pela Adutora do Moxotó até Arcoverde, onde se conecta à Adutora do Agreste até se interligar ao ramal de Brejo, no distrito de Serra dos Ventos, que fica na divisa entre Belo Jardim e Brejo da Madre de Deus.
Assessoria