ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Júri popular dos Canibais de Garanhuns será nesta sexta-feira (14)


Remarcado em novembro, o segundo julgamento do trio conhecido como ‘Canibais de Garanhuns’ - que já cumpre pena desde 2014 por outro homicídio -, ocorrerá nesta sexta-feira (14), no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, Ilha de Joana Bezerra, área central do Recife. O júri está marcado para começar às 9h, na 1ª Vara do Tribunal do Júri. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva são acusados da morte de duas mulheres, além de comerem e comercializarem parte da carne dos corpos. Os crimes aconteceram nos meses de fevereiro e março de 2012, no bairro de Jardim Petrópolis, em Garanhuns, Agreste de Pernambuco. 

No início da sessão, serão escolhidos os sete jurados para compor o Conselho de Sentença. Para o julgamento, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou que o delegado Wesley Fernandes Oliveira, que investigou o caso em Garanhuns, fosse ouvido. 

Após essa oitiva, segue o interrogatório dos réus. Depois, haverá o debate entre o promotoria e a defesa. Cada um terá até duas horas e meia para expor seus argumentos. Na sequência, pode haver a réplica para o promotoria, que dura até duas horas, e a tréplica para a defesa, com a mesma duração. Para concluir, ocorre o julgamento pelo Conselho de Sentença.

Crimes
Segundo as investigações, as vítimas, Alexandra da Silva Falcão, 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31 anos, foram atraídas pelo grupo com promessas de emprego e de “ouvir a Palavra de Deus”. De acordo com o inquérito, Jorge matou as mulheres com facadas no pescoço e os corpos de ambas as vítimas foram esquartejados com participação das outras duas acusadas. O trio teria usado parte da carne das vítimas para comer e rechear empadas, que eram comercializadas em Garanhuns. 

O três acusados respondem pelo crime de duplo homicídio triplamente qualificado, além de ocultação e vilipêndio de cadáver e furto qualificado, pois o grupo teria roubado os pertences das duas vítimas. Bruna Cristina de Oliveira também vai ser julgada pelo uso do RG de Jéssica Camila da Silva Pereira. A identidade pertencia a outra vítima do trio, que foi morta no ano de 2008 quando o grupo ainda morava no bairro de Rio Doce, Olinda, no Grande Recife. A filha desta vítima foi adotada pelo trio. 

Em relação a este crime, os três acusados foram julgados e condenados em 2014 por homicídio quadruplamente qualificado, além de vilipêndio e ocultação de cadáver, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Olinda. Jorge Beltrão foi condenado a pena de 21 anos e 6 meses de reclusão, mais 1 ano e 6 meses de detenção. Isabel Cristina foi condenada a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção. Já Bruna Cristina, a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção. JC Online