CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Governador sanciona aumento no ICMS de vários produtos e redução desse imposto no diesel


O governador Paulo Câmara (PSB) sancionou o pacote de mudanças no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Também foi sancionado o programa "Nota Fiscal Solidária", que prevê o pagamento extra de até R$ 150 para famílias que integram o programa Bolsa Família, do governo federal. A sanção foi publicada na edição desta terça (4) do Diário Oficial do Estado.  

As medidas fazem parte de um pacote fiscal enviado em caráter de urgência pelo governador aos deputados estaduais e aprovado em primeira e segunda votações na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Com a sanção, começa a valer no estado a redução de 18% para 16% no ICMS do óleo diesel e o aumento de 2% no ICMS de vários produtos, entre eles:


Bebidas alcoólicas
Aguardentes
Refrigerantes
Água mineral em embalagem descartável
Bebidas isotônicas
Sacolas, copos e canudos plásticos
Veículos novos com preço acima de R$ 50 mil
Motocicletas acima de 250 cilindradas
Joias, pérolas, pedras preciosas e bijuterias
Etanol - combustível (álcool)
Explosivos preparados 

Os deputados também aprovaram a prorrogação, até dezembro de 2023, da tabela do IPVA. A alíquota desse imposto continua como está, podendo chegar a 4%, de acordo com o modelo do carro. 

No programa "Nota Fiscal Solidária", as famílias participantes do Bolsa Família precisam comprar, durante os doze meses do ano, no mínimo R$ 250 em produtos específicos para ter direito ao valor extra prometido pelo governo. Durante a campanha para reeleição de Paulo Câmara, o projeto era chamado de "13º do Bolsa Família"

Como elaborado pelo governador Paulo Câmara, o projeto previa R$ 500 mensais em gastos para a participação no programa de notas fiscais. Após discussão na Alepe, no entanto, o valor caiu pela metade. O secretário da Fazenda de Pernambuco, Marcelo Barros, havia informado que o governo poderia rever o gasto mínimo mensal de R$ 250.

Confira os produtos que integram o Nota Fiscal Solidária:
Feijão
Arroz
Açúcar
Sal
Farinha de mandioca
Óleo de soja
Charque
Leite em pó em embalagem até 200 g
Bebida láctea em sachê de um quilo
Queijos muçarela, coalho, prato e manteiga
Manteiga em tablete até 200 g
Manteiga de garrafa
Café solúvel até 50 g
Fubá e similares
Sardinha em lata
Tilápia
Carne bovina, caprina e ovina
Frango resfriado e congelado
Ovos
Papel higiênico
Sabão em tablete até 500 g
Xampu
Sabonete
Botijão de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)
Fonte: G1 Pernambuco