CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Trio é preso com fuzil e 720 munições no Agreste de Pernambuco


Três pessoas foram presas em Garanhuns e Caetés, no Agreste do Estado, com um fuzil calibre 556 e 720 munições, nesta terça-feira (20). De acordo com a Polícia Civil, o trio é suspeito de integrar uma quadrilha de roubo de cargas.

Segundo o delegado Eric Costa, titular da Delegacia de Homicídios de Garanhuns, a prisão aconteceu após a polícia identificar dois membros da quadrilha que tinham mandado de prisão em detrimento de uma operação realizada no ano passado. Com as informações, a polícia localizou o veículo que o trio estava utilizando e realizou um bloqueio na rodovia. Após a identificação do carro, foi feita uma ordem de parada, mas o motorista se recusou e fugiu. Apesar de resistir e oferecer dinheiro aos policiais, Valdinez Santos Cunha foi preso.

Prisões
Com a prisão do primeiro dos três suspeitos, Valdinez Santos, o efetivo conseguiu chegar até a propriedade em que os outros dois estavam. José Jhones Teixeira de Azevedo e Adja Clécia Baia de Araújo foram presos em Caetés, também no Agreste.

Apreensões
No local, além do fuzil calibre 556 e das munições, a polícia encontrou bloqueador de GPS, duas pistolas calibre 380, um revólver calibre 38, um 1 quilo de cocaína, cerca de 2 quilos de maconha e uma balança de precisão. "Os equipamentos eram pouco usuais, que só uma quadrilha bem estruturada tem. Inclusive pela arma longa, que é uma arma extremamente cara para chegar ao mercado nacional", relatou o delegado Eric Costa.

Ainda de acordo com o delegado, o grupo criminoso também atuaria fora de Pernambuco. "O tempo de atuação será objeto de investigação, mas a área em que atuavam, nós acreditamos que seja o Agreste e Alagoas'', disse.

O trio será autuado por tráfico de drogas, uso de documento falso, associação ao tráfico, corrupção ativa e resistência. A polícia investiga outros possíveis integrantes da quadrilha. Fonte: JC Online