CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Haddad minimiza ataques de Cid Gomes


Um dia após o senador eleito pelo Ceará Cid Gomes (PDT) cobrar o PT "pelas besteiras que fez" e dizer que o partido "criou Bolsonaro e vai perder a eleição", o candidato petista à Presidência, Fernando Haddad, tentou minimizar o episódio. O ex-prefeito disse que não comentaria "essa coisa meio acalorada" e que a amizade com o irmão de Ciro Gomes continua a mesma. Ele afirmou esperar uma declaração explícita de apoio de Cid até o dia 28. 

Em meio à dificuldade de atrair novas adesões à candidatura no segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL), o senador eleito pela Bahia Jaques Wagner, responsável pelas articulações políticas da campanha, agora fala que não existe a intenção de criar uma "frente democrática" em torno de Haddad. 

Paralelamente, o partido, que vê o adversário com 18 pontos de vantagem no Ibope, discute mudanças no programa de governo. Há até quem defenda que, diante da composição do novo Congresso, deveria ser adotada apenas uma plataforma mínima de propostas com itens básicos, como a defesa da democracia e a responsabilidade fiscal. O objetivo seria atrair outros partidos, mesmo de posição ideológica diferente. 

Haddad convocou lideranças petistas, como Wagner, a presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, e o ex-presidente Rui Falcão, para uma reunião na manhã desta terça-feira em um hotel de São Paulo. Em ato pró-Haddad na noite de segunda-feira no Ceará, Cid Gomes cobrou um pedido de desculpas do PT pelas "besteiras que fizeram" e disse que que o partido "criou" Bolsonaro.
Fonte: Blog do Magno