CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Dilma Rousseff fica em 4º lugar na disputa ao Senado em Minas


BRASÍLIA - Uma das surpresas do primeiro turno da eleição foi o revés na disputa ao Senado em Minas. Apontada pelas pequisas eleitorais como líder na disputa, a ex-presidente Dilma Rousseffamargou o quarto lugar, com 15,21% dos votos.  Ela foi derrotada pelos candidatosRodrigo 

Pacheco (DEM) e pelo jornalista  Carlos Viana (PHS), que obtiveram 20,49% e 20,23% dos votos, respectivamente. 

Em terceiro lugar ficou Dinis Pinheiro (Solidariedade),  candidato apoiado por Jair Bolsonaro (PSL). O ex-capitão chegou a gravar um vídeo pedindo apoio para Pinheiro. Ele teve 18,42% dos votos. 

A derrota de Dilma foi apontada na pesquisa de boca de urna do Ibope, divulgada após as 17h.De manhã, ao chegar na seção para votar em Belo Horizonte, foi recebida com aplausos e vaias . Aceitou responder a apenas duas perguntas antes de votar. Durante a campanha, evitou dar entrevistas à imprensa. 

— Eu acredito que 2018 é a eleição da democracia e, por isso, talvez seja a eleição mais importante dos últimos anos — disse, ao ser questionada sobre sua possível chegada ao Senado.

A ex-presidente garantiu seu direito de disputar as eleições depois de acordo costurado na votação do impeachment, em agosto de 2016, pelo então presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB). Ele a livrou da punição pelos senadores com a inabilitação para funções públicas, como Fernando Collor, em 1992.
Fonte: G1