CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Depois de duas goleadas fora, Sport prega postura ofensiva para surpreender Grêmio



A distância do Sport para o primeiro time fora da zona do rebaixamento - hoje o Vitória - já foi de seis pontos. Agora é de três. O Leão voltou forte para a briga contra a degola, mas precisa melhorar o desempenho fora de casa. As duas últimas partidas longe da Ilha do Retiro foram traumáticas. Afinal, foram sonoras goleadas. De 5 a 2 para o Atlético-MG e de 4 a 0 para o Atlético-PR. Precisando de um desempenho melhor fora do Recife, os jogadores acreditam que a saída é atacar. O próximo desafio é contra o Grêmio, neste sábado, em Porto Alegre.

- A gente tem de jogar. Não podemos ir lá, nos afundar e deixar eles jogarem. Temos de dar a cara a tapa e fazer um jogo importante. O jogo tem de ser jogado, não podemos só nos defender, temos de jogar também - disse o lateral-esquerdo Sander.

O Sport tem um desempenho ruim como mandante nesta Série A. Tem apenas a 16ª melhor campanha e, dos 30 pontos que tem, só ganhou sete jogando fora de casa. Ao todo, foram 15 partidas, com duas vitórias, um empate e 12 derrotas.

- O Grêmio é um grande time, já joguei contra várias vezes e tem um gosto especial. Temos que sair mais para o jogo. Não podemos fazer como antes, se a gente só marcar os 90 minutos, nós vamos tomar. Temos de atacar, fazer os caras cansarem e buscar a vitória - disse o lateral-direito Cláudio Winck.

O Grêmio deve mandar a campo um time alternativo, já que divide as atenções com a Libertadores da América - o River Plate-ARG é o adversário do Tricolor nas semifinais. A equipe gaúcha tem a sexta melhor campanha como mandante (conquistou 32 dos 52 pontos que tem).

- A gente olhou um pouco do jogos deles. Se for o time reserva, tem qualidade. Eles ganharam a Libertadores, a Copa do Brasil, até o ano passado era um clássico que eu estava acostumado a jogar. A gente vai respeitar, mas estamos precisando. Vamos chegar na Arena e mostrar nosso futebol também - completou Winck.
Fonte:GE