CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Belo Jardim recebe investimentos em esgotamento sanitário


Investir em saneamento no interior de Pernambuco é uma das diretrizes do Governo de Pernambuco por meio da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). O município de Belo Jardim, no Agreste, é mais uma cidade beneficiada com obra de implantação de sistema de esgotamento sanitário. A ordem de serviço para início das obras foi assinada nesta quarta-feira (4) pelo presidente da companhia, Roberto Tavares, durante evento realizado na cidade. Segundo o presidente da estatal, o investimento de R$ 35 milhões que será aplicado no empreendimento corresponde à primeira etapa do projeto para sanear a cidade de Belo Jardim. “Já solicitamos à empresa vencedora da licitação para agilizar o canteiro de obra para o início imediato dos serviços. A previsão é finalizar a obra em 18 meses”, adianta Tavares. A inclusão da cidade de Belo Jardim no projeto de despoluição do Rio Ipojuca, recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), foi uma solicitação do próprio governador Paulo Câmara, por entender a importância do saneamento para a saúde da população e desenvolvimento da cidade. Essa etapa da obra atenderá 35% de Belo Jardim com os serviços de coleta e tratamento de esgoto, beneficiando cerca de 30 mil pessoas. “O Rio Ipojuca é um dos mais importantes de Pernambuco, e tem sido uma grande preocupação em virtude do alto grau de poluição. As obras de esgoto que estamos desenvolvendo e outras planejadas irão contribuir com a revitalização não só desse manancial, mas também do Rio Bitury, que corta a cidade de Belo Jardim e é um dos afluentes do rio Ipojuca”, observa Roberto Tavares. As obras do sistema de esgotamento sanitário de Belo Jardim envolvem a implantação de 65 quilômetros de ramais prediais e 17 quilômetros de rede coletora de esgoto. Também serão realizadas 8 mil ligações intradomiciliares e construída uma estação elevatória, está última uma unidade de bombeamento de esgoto que terá com capacidade para operar 7 litros por segundo. Assessoria