CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Ministros do TSE rejeitam pedidos de Bolsonaro para suspender propaganda de Geraldo Alckmin


Os ministros Sérgio Banhos e Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rejeitaram dois pedidos apresentados pela defesa de Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, para suspender propagandas eleitorais do também candidato Geraldo Alckmin (PSDB) na TV e na internet. 

Banhos e Horbarch negaram os pedidos de Bolsonaro sob o argumento de que a liberdade de expressão na campanha não pode ser tolhida porque não abarca somente opiniões favoráveis, mas, também, aquelas que possam "causar transtorno ou inquietar pessoas". 

Um dos vídeos contestados por Bolsonaro exibe alguns objetos – representando educação, saúde, saneamento básico, fome – perfurados em câmera lenta por balas. Ao final, uma criança alvo da bala aparece com a seguinte mensagem: "Não é na bala que se resolve". 

Na segunda ação apresentada ao TSE, Bolsonaro contestou o uso de "emoticons" – figuras usadas em mensagens – nas quais a imagem dele era associada a uma pessoa vomitando. 

A defesa dizia que as peças usaram efeitos especiais, com forte apelo emocional, para prejudicar a imagem de Bolsonaro. 

O que argumentou a defesa de Alckmin
Os advogados de Alckmin disseram que o TSE não deve proibir críticas ácidas aos adversários políticos no debate eleitoral.
Fonte: G1