CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Tecnologia do Blogger.

Empresários são detidos por roubo de energia elétrica avaliado em R$ 1 milhão no Recife


Cinco empresários foram detidos nesta quarta-feira (22) em uma operação da Polícia Civil para reprimir o roubo e o desvio de energia por meio de ligações clandestinas no Grande Recife. De acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), os donos dos estabelecimentos comerciais roubaram o equivalente a R$ 1 milhão em energia durante um mês.

Denominada Clandestinus, a ação teve como alvos três frigoríficos, dois supermercados e uma academia de ginástica. A energia roubada pelos seis estabelecimentos seria suficiente para abastecer o bairro da Torre, na Zona Oeste do Recife, pelo mesmo período, segundo informaram a Celpe e a Polícia Civil. 

“As abordagens foram feitas após inspeções realizadas pela Celpe. Essa operação vai continuar acontecendo, porque o objetivo maior, além de coibir essa prática, é reduzir o custo repassado para o consumidor”, afirma o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral.

De acordo com a Celpe, os empresários são reincidentes nesse tipo de crime. “Já havíamos notificado os estabelecimentos e eles tinham pago o equivalente ao total roubado de energia, mas fizeram novamente”, afirmou o gerente de transmissão da Celpe, Fábio Barros.  

Três unidades do Frigoríficio Boi Verde, nos bairros de Parnamirim e Água Fria, na Zona Norte, e no Centro do Recife, foram alvo da operação. 

Os supermercados Extracompra e Tradição ficam em San Martin e na Mustardinha, respectivamente, ambos na Zona Oeste. A academia Circuit, por sua vez, fica no Ibura, na Zona Sul do Recife. De acordo com a Polícia Civil, os estabelecimentos foram fechados. 

Um sexto empresário está foragido, mas a Polícia Civil informa que faz buscas para encaminhá-lo à delegacia. Caso sejam presos, a pena para os empresários pode variar de um a quatro anos de prisão. 

O G1 tentou o contato com as empresa citadas e não obteve retorno das ligações. Fonte: G1 PE