CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Confira a nova pesquisa para presidente 2018



Mais do que a ressaca das bizarrices do debate de ontem na Band, o que está turbinando a sexta-feira é a nova pesquisa XP/Ipespe, a primeira desde a confirmação de candidatos e vices pelas convenções. Para surpresa de ninguém, o quadro não mudou, e Jair Bolsonaro continua na liderança nos cenários sem Lula, que mantém firmes seus 31%: o capitão tem 23%, seguido de longe pelo trio embolado Marina Silva (12%), Geraldo Alckmin (10%) e Ciro Gomes (9%).

Fernando Haddad, quando entra no cenário explicitamente como candidato de Lula, pula de 3% para 13%, embolando-se com o trio mas ocupando a primeira colocação do segundo pelotão.

Nesse quadro, já detectado pelas pesquisas internas dos partidos, os caciques do PT informam que nada muda em sua estratégia de levar até o último momento  a batalha jurídica em torno do registro de Lula. O que quer dizer que, até lá, Haddad continua naquela situação de quem não é carne nem peixe, nem vice nem cabeça de chapa, uma espécie de meio candidato.

Se está dando certo até agora, para quê mudar? – indaga um peso pesado do PT. Essa situação, porém, está sendo mais monitorada, dia a dia, minuto a minuto, do que paciente de UTI. Os petistas acreditam piamente na capacidade de transferência de votos de Lula, mas sabem que, no enunciado das pesquisas, é fácil comunicar ao entrevistado que Haddad é o indicado de Lula. Na vida real, esse processo pode não ser tão simples nem tão rápido assim. É isso que centraliza hoje todas as conversas no PT.
Helena Chagas – Blog Os Divergentes