CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

CLIP GOSPEL

Por economia, Náutico aposta na base e valoriza garotada com título



O Náutico tem jogadores consagrados em seu elenco, mas não foram apenas eles que ganharam os louros da vitória pela conquista do Campeonato Pernambucano do Náutico no último domingo. Alguns atletas que ainda brigam por seus espaços dentro do próprio clube deixam a disputa do estadual valorizados. Para não gastar muito e evitar atrasos de salários e grandes crises, o Timbu resolveu apostar na base nesta temporada. Do elenco campeão, 50% dos jogadores foram formados no Centro de Treinamentos Wilson Campos.

É certo que alguns entraram na campanha do título com mais destaque, como são os casos do goleiro Bruno, do lateral-esquerdo Kevyn e do atacante Robinho, campeões como titulares, mas pelo planejamento idealizado pela diretoria e pelo técnico Roberto Fernandes, todos acabam tendo uma boa parcela na conquista, já a garotada formou o time quase completo em pelo menos seis dos 14 jogos da campanha.

Bruno, Kevyn e Robinho conseguiram se consolidar entre os titulares na campanha do título, mas outros bons valores apareceram durante a disputa e abrem os olhos do torcedor para uma maior utilização futura.

O volante Willian Gaúcho chamou a atenção pelo bom chute e pela qualidade no passe. Ainda no meio de campo, Luiz Henrique se destacou pela versatilidade e foi elogiado pelo técnico Roberto Fernandes mais de uma vez.

No ataque, três nomes apareceram bem. Tharcysio, que marcou um dos gols da vitória por 3 a 0 no clássico contra o Sport, Rogerinho, que jogou pouco, mas mostrou ser uma alternativa interessante com sua velocidade e Odilávio, que já era mais conhecido e correspondeu com gols sempre que entrou para compor o time alternativo.

A garotada amadureceu. Tem uma frase que diz "Você não faz marinheiro com mar calmo. O que faz um bom marinheiro é a dificuldade" e a oportunidade começou a aparecer para esses garotos justo num ano em que todo jogo é decisão. Isso amadureceu os garotos e o grupo - comentou o técnico Roberto Fernandes, que não se mostrou temeroso em nenhum momento para utilizar a base.

Muito da confiança de Roberto Fernandes para usar os garotos da base do Náutico se dá por sua relação com Dudu Capixaba, treinador do time Sub-20 e hoje integrado ao elenco profissional como um dos auxiliares de Roberto.

Temos que parabenizar o trabalho que vem sendo feito na base. Normalmente a gente inverte valores e cobra título na base, quando deve cobrar preparação. O título é consequência. Dudu Capixaba está nesse trabalho há algum tempo e não foi campeão estadual da categoria do ano passado, mas nem assim perdeu a credibilidade. Muito pelo contrário. Hoje ele faz parte da comissão técnica permanente e é um profissional que nos ajudou muito nessa transição.

Um dos jogadores que conseguiram se consolidar no time profissional, o lateral-esquerdo Kevyn, coloca o sucesso muito na conta do técnico Roberto Fernandes, que, segundo ele, segurou a barra para que os garotos jogassem.

Desde o começo, ele (Roberto Fernandes) passou muita confiança para a gente. Sempre falou que se estávamos no grupo é porque estávamos preparados para ser usados. Eu agarrei isso para mim e comecei a trabalhar para, quando a chance aparecesse, eu estar bem. Ano passado não tivemos tantas oportunidades como esse ano, por isso a gente está bastante feliz. Sempre paramos para pensar, olha onde a gente estava e olha hoje onde a gente está.

Veja a lista de todos os jogadores da base do Náutico que estão no elenco:

Goleiros: Bruno, Jefferson (deixou o clube) e Sérgio (não jogou);
Zagueiros: Rafael Ribeiro, Samuel, Richard e Otávio (não jogou);
Lateral-esquerdo: Kevyn
Volantes: Willian Gaúcho, Christiano Xuxa, Cal Rodrigues, Niel (não jogou) e Rhaldney (não jogou);
Meias: Luiz Henrique e Felipinho
Atacantes: Robinho, Tharcysio, Odilávio e Rogerinho
Fonte:GEPE