CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Chuvas melhoram situação de barragens em Pernambuco

As precipitações que atingem o Grande Recife desde o início do período de chuva, entre abril e julho, melhoraram o nível das barragens que integram o sistema de abastecimento. Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), foi registrado aumento do volume em quatro dos principais reservatórios da região: Botafogo, Várzea do Una, Duas Unas e Tapacurá 

Os dados foram divulgados na noite de segunda-feira (9). Entre sexta-feira (6) e domingo (8), de acordo com a Defesa Civil do Recife, a capital registrou um índice pluviométrico de 230 milímetros. Isso corresponde ao esperado para 21 dias. 

Compesa informou que uma das barragens do Grande Recife mais beneficiadas com as chuvas do início do período de precipitações foi Botafogo. Nos últimos oito dias, o reservatório, em Igarassu, teve melhora de 6% no nível de acumulação. 

O manancial, principal fonte hídrica que compõe o sistema de distribuição de água das cidades de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, saiu de 20,71% para 26,72% da capacidade de armazenamento. 

No mesmo período, a barragem de Várzea do Una, em São Lourenço da Mata, atingiu 69,14% da capacidade. Duas Unas, em Jaboatão dos Guararapes, está com 72,3% do nível total. 
 
A Barragem de Tapacurá, também localizada em São Lourenço da Mata, teve um pequeno aumento de 0,71%. O manancial alcançou 58,19% da capacidade de acumulação. 

Interior 
Compesa também divulgou dados sobre a situação de reservatórios do Agreste e Sertão. A Barragem de Jucazinho, nem Surubim, voltou a acumular água com as chuvas dos últimos dias. 
 
O maior reservatório para abastecimento humano do Agreste tem capacidade de armazenar mais de 327 milhões de metros cúbicos. Agora, registra 2,36% do seu nível. Isso significa 7,7 milhões de metros cúbicos, considerado volume morto. 

O manancial, que estava em colapso, abastecia 15 cidades. Segundo a Compesa, a expectativa é iniciar a captação, por meio de uma bomba flutuante, mesmo antes da água atingir o nível ideal. 
 
No Sertão do Pajeú, alguns mananciais também foram beneficiados com as chuvas. A Barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, que possui 19,6 milhões de metros cúbicos de água, está vertendo. 

Em 10 dias, a companhia promoverá melhorias no sistema de distribuição para aumentar a produção de 100 litros de água por segundo para 120 litros por segundo. 

A Barragem de Boa Vista, em Itapetim, que estava em colapso desde janeiro deste ano, acumulou 6% da sua capacidade máxima, volume que corresponde a 98 mil metros cúbicos. A Compesa está tomando as providências para que o manancial volte a contribuir com o sistema de abastecimento. 

Em São José do Egito, a Barragem de São José II também saiu da situação de colapso. O reservatório, com capacidade de acumular 7,1 milhões de metros cúbicos, registra 52,3% do seu nível.  Fonte: G1 Caruaru