CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

CLIP GOSPEL

Procon-PE detecta oscilação nos preços de medicamentos de marca e genéricos


Pesquisa observou que a diferença entre produtos genéricos chega até 452%.


Que os remédios genéricos são mais baratos que os de marca, todo mundo sabe. Mas o mais surpreendente é que entre os genéricos também há uma grande variação de preço. Esse fato foi constatado através de uma pesquisa realizada pelo Procon-PE, entre os dias 20 e 22 de fevereiro, em doze estabelecimentos (sendo onze no Recife e um em Olinda).

Entre os dados levantados, o Procon-PE destaca o caso do medicamento Captopril, um dos mais usados para controlar a hipertensão arterial. O medicamento de marca pode ser encontrado por volta de R$ 95,15, enquanto o genérico sai por uma média de R$ 15,98.

Outro medicamento utilizado por hipertensos, o Atenolol, varia entre R$ 35,16 (remédio de marca) e R$ 1,34 (genérico). Este último remédio apresentou preço variável também dentro das opções genéricas: os fiscais do Procon-PE registraram valores entre R$ 7,41 e R$ 1,34, ou seja, uma diferença percentual de 452,99%.

No levantamento realizado pelo órgão, é possível identificar o preço de cada item por estabelecimento. Assim, o consumidor pode obter os locais e endereços onde o produto pode ser encontrado por um preço mais acessível.
O Procon-PE pesquisa medicamentos voltados para o controle da hipertensão arterial; controle do diabetes; analgésicos; remédios para náuseas e vômitos; rinite alérgica; anti-helmíntico; anti-inflamatório; broncodilatador; excesso de gases e antibióticos para o tratamento de infecções bacterianas. Foram pesquisados 40 medicamentos, sendo 20 de referência (marca) e 20 genéricos.

Dicas do Procon-PE para compra de medicamentos:

- É essencial pesquisar os preços: na pesquisa, foi constatada grande variação para um mesmo medicamento, de acordo com o laboratório e a farmácia/drogaria.

- Deve-se observar sempre o prazo de validade do medicamento.
- O comprador deve verificar se o número de lote e data de fabricação que constam na caixa do medicamento são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos, e se a embalagem se encontra lacrada.

- Todo medicamento deve possuir o número de registro no Ministério da Saúde.

- É preciso guardar sempre o medicamento em local seco, arejado e fora do alcance de crianças. Deve-se ter um cuidado especial com remédios de formato ou aroma atrativo às crianças (formato de bichinhos, cheiro ou gosto de chiclete etc). Fonte: G1