CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

SE LIGA NAS MAROCAS 2018

Demônio do horto, roupas e maquiagem: conheça os bastidores da Paixão de Cristo

A Paixão de Cristo é encenada há 51 anos na cidade-teatro de Nova Jerusalém, no distrito de Fazenda Nova, em Brejo da Madre de Deus, Agreste de Pernambuco. Por trás da grandiosidade do espetáculo há efeitos e preparações com antecedência das roupas e maquiagem para que tudo dê certo.     

O ator Arnaldo Siqueira atua há 19 anos no espetáculo e é o demônio que tenta Jesus no horto dasa oliveiras. Para este ano, a cena na qual ele participa contou com uma novidade. "O demônio do horto das oliveiras inaugurou uma nova possibilidade de se utilizar os elevadores. E tem um diferencial: ele vem da pedra. E dá um efeito muito forte, que é o efeito do demônio sair da terra", disse ao G1. 
Para Arnaldo, do ponto de vista técnico, a cena é bem desafiante. "Primeiro porque o ator, nesse caso eu, usa máscara. E esta máscara diminui meu campo de visão. Eu não tenho lateralidade e nem consigo ver embaixo com precisão. Toda a estrutura do palco que é percorrida fez com que eu mapeasse o cenário, eu sei quantos passos eu dou para cada lado", detalhou.    

A diferença dessa cena para as outras é que essa tem só dois atores: o demônio e Jesus. Ela é uma síntese do que é o teatro: o protagonista e o antagonista, Arnaldo Siqueira.     

Rafaella Carvalho também é atriz e participa da bacanal de Herodes. Horas antes do espetáculo ela vai para uma sala arrumar os cabelos e fazer a maquiagem. "Todo esse detalhe enriquece cada personagem. A cena é repleta de minúcias. Herodes é o principal, mas acontecem pequenas cenas no entorno. Cabelo, figurino e maquiagem sempre enriquecem. Minha personagem incita os sacerdotes, vem para baixo ver quem é Jesus... É bem bacana", ressaltou. 
Ao G1, a maquiadora Tabyra Mariz explicou que usa tons dourados na maquiagem dos convidados de Herodes porque era a cor mais usada naquela época. "Eu deixo os olhos bem marcados, porque era com os olhos que as mulheres seduziam os homens", destacou.    

O ator e assistente de direção Gilberto Trindade faz três personagens durante todo o espetáculo. "Eu entro como o apóstolo André, depois vou para a cena de Herodes e termino o espetáculo como um dos centuriões de Pilatos. A única cena que eu não entro é a de Judas. É tudo muito corrido, muitos itens do figurino. Fora que eu tenho que controlar a entrada dos atores, porque sou assistente de direção", completou. 
Para vestir um dos figurinos de Jesus, três assistentes auxiliam o ator Renato Góes. "O preparo é muito importante. E ainda mais aqui, que é ao ar livre. Mas todo mundo se ajuda, por isso tudo funciona. E elas [assistentes] me ajudam mais no carinho e na atenção mesmo", finalizou. Fonte: G1