CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Vexame histórico! Sport vacila e cai na Copa do Brasil

Leão chegou a abrir 3x0 no placar, mas deixou o empate acontecer e perdeu nos pênaltis para o Ferroviário/CE


Durou pouco a lua de mel entre Sport, Nelsinho Baptista e Copa do Brasil. Após o "casamento" em 2008, o Leão foi eliminado de forma vexatória nesta quinta-feira (15), em plena Ilha do Retiro, na Segunda Fase da Copa do Brasil. Após abrir 3x0 no placar, o Leão se apequenou e cedeu o empate num espaço de apenas dez minutos para o Ferroviário/CE, que se classificou para a Terceira Fase da competição. Detalhe: a folha salarial de toda equipe cearense gira em torno de R$ 180 mil, sendo apenas metade do salário de André, atacante rubro-negro. Nas cobranças de pênaltis, São Magrão até chegou a entrar em ação, pegando a cobrança de Mota, mas Rogério e Marlone desperdiçaram as suas e os cearenses fizeram a festa em plena casa leonina. Nos cofres, mais R$ 1,4 milhão para o time classificação.

Com a bola rolando foi possível ver que a ressaca de carnaval atingiu o Sport. Lento e desarrumado, o time demorou a engrenar na partida. Sem André, a situação parecia se agravar ainda mais quando Leandro Pereira deixou o gramado aos 34 minutos, por conta de dores no joelho após se chocar com uma placa de publicidade. Curiosamente, na primeira boa chance criada pelos mandantes, quando o atacante errou cabeçada dentro da pequena área. Sem boas atuações do trio Marlone, Thomás e Gabriel, sobrou para um volante abrir o caminho da classificação. Após confusão na área, Anselmo mostrou oportunismo e só escorou para o fundo do gol, quebrando o clima tenso que já se aproximava nas arquibancadas.


Na segunda etapa, o Leão conseguiu encaixar e mandar na partida até os 30 minutos. Sem um atacante de referência, a equipe de Nelsinho se tornou mais rápida e eficiente, tornando-se até mesmo menos previsível. De todas as peças ofensivas, Thomás era o único que continuava abaixo do esperado. Com Marlone caindo pela esquerda, a dobradinha com o lateral Capa se tornou uma das principais armas leoninas. E foi assim que nasceu o segundo gol. Antes, aos nove minutos, Valdeci arriscou de fora da área, a bola desviou no defensor e quase enganou Magrão, com a finalização parando no travessão. A resposta rubro-negra foi mortífera. Um minuto depois, Marlone enfiou para Capa cruzar para Fabrício acertar uma linda cabeçada, sem chance para Bruno Colaço. Sport 2x0 e classificação encaminhada.


Partindo para o "tudo ou nada", o Ferroviário expôs todas as suas fragilidades e o Leão começou a abusar de perder gols. O primeiro deles com Gabriel, que finalizou mal e parou no goleiro Bruno Colaço. Em seguida, em nova assistência de Capa, Thomás perdeu a oportunidade na pequena área. Somente aos 26, Marlone mostrou como se faz. Em jogada de Índio, o meia leonino só escorou e ampliou para 3x0. E quando tudo parecia encaminhado para um final feliz, o futebol provou que é mesmo uma "caixinha de surpresas" e a sorte começou a virar na Praça da Bandeira. Aos 31 e aos 37, Mazinho diminuiu a diferença e botou os visitantes de volta na disputa. E aos 41, veio o gol de empate. Em cruzamento rasteiro, Valdeci só escorou para silenciar a Ilha do Retiro. Nas cobranças de pênaltis, Janeudo, Valdeci, Rodrigo Rodrigues e Mazinho converteram. Apenas Mota perdeu. No Leão, Thomás, Léo Ortiz e Fabrício marcaram. Rogério e Marlone perderam e decretaram a eliminação leonina.

FICHA TÉCNICA:
Sport 3 (3)
Magrão; Felipe Rodrigues (Neto Moura), Henríquez, Léo Ortiz e Capa; Anselmo, Fabrício, Gabriel (Índio), Marlone; Thomás; Leandro Pereira (Rogério). Técnico: Nelsinho Baptista.

Ferroviário/CE 3 (4)
Bruno Colaço; Amaral, Jean (Valdeci), Túlio e Sávio; Erandir, Mazinho, Janeudo e Andrei; Valdo Bacabau (Rodrigo Rodrigues) e Mota. Técnico: Ademir Fonseca.

Local: Ilha do Retiro (Recife).
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF). Assistentes: Ciro Chaban Junqueira e Luciano Benevides de Sousa (ambos do DF).
Gols: Anselmo (aos 8 do 1ºT), Fabrício (aos 10 do 2ºT), Marlone (aos 26 do 2ºT) e Mazinho (aos 31 e aos 37 do 2ºT). Valdeci (aos 41 do 2ºT).
Cartão amarelo: Valdo Bacabau.
Público: 3.238. Renda: 55.655,00. Fonte: FolhaPE