CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

HRA está entre os principais captadores de córnea de Pernambuco, diz SES

O Hospital Regional do Agreste (HRA), localizado em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, terminou o ano de 2017 como a 4ª unidade de saúde que mais realiza captação de córnea no estado. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (5) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). No total, foram 63 doadores de janeiro a dezembro.    

Completam o ranking o Hospital de Câncer de Pernambuco (HC), o Hospital da Restauração (HR), o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Filgueira (Imip) e o Hospital Agamenon Magalhães (HAM), em 1º, 2º, 3º e 5º lugares, respectivamente.    

De acordo com a SES, o HRA é o único entre os cinco primeiros que não está localizado na Região Metropolitana do Recife (RMR). Ainda em Caruaru, o Hospital Mestre Vitalino realizou 40 captações do tecido, ficando na 8º colocação.    

"Um paciente com morte encefálica pode tirar da fila de espera até sete pacientes, já que é possível doar dois rins, duas córneas, coração, fígado e pâncreas. No caso da morte do coração, é possível doar as córneas. Por isso a importância de, ainda em vida, nos declararmos como doadores de órgãos e tecidos para os nossos familiares, já que só um parente de até segundo grau pode autorizar o ato, de acordo com a legislação brasileira", esclareceu a coordenadora de Descentralização da Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), Domany Cavalcanti.     

O transplante de córnea consiste em substituir o tecido doente por um saudável, com o objetivo de melhorar a visão do paciente ou corrigir perfurações oculares. Não há restrição para ser um doador.    

Doações no estado 
Em 2017, foram realizados 1.790 procedimentos em Pernambuco, um recorde desde a criação da CT-PE, em 1995. O quantitativo é 22,27% maior do que o mesmo período de 2016, com 1.464 procedimentos. Antes, o ano com mais transplantes realizados era o de 2012, com 1.690. Fonte: G1 Caruaru