CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

SE LIGA NAS MAROCAS 2018

Em defesa ao TSE, Huck reitera que não vai disputar eleição

Os advogados do apresentador da TV Globo Luciano Huck  entregaram nesta quarta-feira (7) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a defesa no processo em que ele é acusado pelo PT de ter promovido sua pré-candidatura durante um programa de TV no início de janeiro.    

De acordo com os jornais Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo, a defesa de Huck reiterou que o empresário não será candidato a qualquer cargo nas eleições de 2018 e pediu o arquivamento da representação.    

Segundo a Folha, a defesa argumenta que a ida do apresentador ao ‘Programa do Faustão’, da TV Globo, foi “produção de entretenimento e que os rumos do país, tema de parte da entrevista, são preocupações de todo brasileiro”.   

Apesar das negativas de Huck sobre sua participação nas eleições, políticos e empresário apoiam uma eventual candidatura de Huck. Nesta semana, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) voltou a endossar que aprova a ideia. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, ele afirmou que o apresentador seria uma boa opção para arejar a política no Brasil.    

Entenda o caso 
No dia 8 de janeiro, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) entraram com uma representação no TSE contra a TV Globo e os apresentadores Fausto Silva e Luciano Huck por abuso dos meios de comunicação e de poder econômico.    

Os parlamentares alegam que a participação do empresário no Programa do Faustão no dia anterior foi destinada a discutir a questão política, colocando Luciano como uma figura “capaz de mudar a realidade vigente (…), diferente de tudo e de todos que aí se encontram”.    

No processo, os deputados acusam a emissora de promover a pré-candidatura de Huck de forma direta, o que poderia causar “interferência antecipada na lisura e na igualdade da disputa presidencial”.  Fonte: MSN Brasil