CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

TV BOA ESPERANÇA

Técnico vê Altos e Botafogo em pé de igualdade com Timbu

Disparidade que existia para rivais diminuiu em 2018, analisou Roberto Fernandes


Olhando apenas o aspecto da tradição, Náutico e Bahia entrariam como os maiores candidatos à classificação no Grupo C da Copa do Nordeste, que conta ainda com Altos/PI e Botafogo/PB. Mas a realidade é bem diferente na visão do técnico Roberto Fernandes. Para ele, apenas o Tricolor de Aço pode se encaixar na lista de favoritos a uma das vagas no mata-mata. O Timbu prega discurso modesto e não esconde que, na prática, a disparidade que existia no passado para os demais rivais diminuiu em 2018.

“Tirando o Bahia, todas as outras equipes vão entrar em pé de igualdade. O Botafogo tem um elenco compatível com o nosso e o Altos é um time experiente”, citou o treinador. “Zebra” da chave, os piauienses, que encaram o Náutic nesta quarta (17), na Arena de Pernambuco, são treinados por Waldemar Lemos, um dos três técnicos que passaram pelo Timbu na Série B 2017. O Belo também tem velhos conhecidos dos alvirrubros, como o atacante Dico, que vestiu a camisa vermelha e branca no ano passado. Outro nome famoso é o do meia Marcos Aurélio, ex-Sport. Sob o comando de Guto Ferreira, o Tricolor de Aço tem de longe o elenco mais qualificado de toda a competição. Com Régis na armação, Élber e Zé Rafael pelas pontas e Edigar Junio como centroavante, o setor ofensivo é a arma do atual campeão regional.

A presença na fase de grupos do Regional rendeu ao Náutico uma premiação de R$ 500 mil. Valor importante para sanar parte das despesas de 2018. Mas o treinador não quer que esse tipo de pensamento se transforme em uma pressão extra para os atletas. “Conseguindo a classificação para a segunda fase da Copa do Nordeste e avançando também pelo menos em duas etapas da Copa do Brasil, com o elenco que nós temos hoje, a gente já asseguraria a folha de pagamento dos atletas para o ano. Mas a função de arrecadar dinheiro não é deles, é da diretoria. Eles (atletas) são pagos para respeitar o clube e dar o seu melhor. Lógico que contribuir em competições que geram receita é fundamental, mas não posso chegar e dizer que sem classificação não tem salário. O importante é que a diretoria está se esforçando para nos dar tranquilidade quanto aos pagamentos”, pontou. Fonte: FolhaPE