CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Só a tradição equilibra Clássico dos Clássicos de hoje

Com um time em formação e fragilizado financeiramente, Náutico encara um Sport mais qualificado tecnicamente


O Campeonato Pernambucano não é a competição mais importante que Sport e Náutico terão este ano. Ainda assim, é a única que permite unir clubes que vivem momentos tão distintos. O Leão está na Série A. É dono de um elenco mais qualificado, com maior poderio financeiro e investimento incomparável ao rival do Estado. Já o Timbu disputará a Série C em 2018, bem longe de ter uma saúde econômica. Isso sem falar na reformulação do grupo, com peças de pouco destaque no cenário nacional. O favoritismo é do Rubro-Negro. Se na teoria o duelo mostra uma disparidade enorme, é na prática que o encontro tem chance de ser mais equilibrado. É a magia que somente um derby pode fazer. Hoje, na Arena de Pernambuco, o Clássico dos Clássicos abrirá a temporada de embates entre as equipes do Trio de Ferro da Capital. Uma rivalidade que permite o tão combalido estadual respirar.

Com a experiência de já ter comandado o Timbu em quatro oportunidades, encarando vários jogos contra o Sport, Roberto foi taxativo. “De todos os clássicos que eu disputei em Pernambuco, sem sombra de dúvidas este terá a maior disparidade. É o momento em que o Náutico está mais despreparado. Antes, nós tínhamos jogadores mais experientes. O último clássico que disputei contra o Sport, em 2011, eu tinha atletas tarimbados como Eduardo Ramos, Elicarlos, Bruno Meneghel e Kieza. Não era somente uma questão de qualidade, mas também o fato de termos jogadores acostumados com pressão”, disse.

Para o confronto, o Timbu tem indefinições na defesa e no ataque. Roberto confirmou apenas o retorno de Camutanga, que cumpriu suspensão automática na rodada anterior. Seu companheiro de zaga é um mistério. Rafael Ribeiro é o mais cotado, mas o treinador não descarta a possibilidade de improvisar Negretti na função. Breno, regularizado ontem, ainda não está na sua melhor forma física e deve ficar no banco de reservas. Na frente, Fernandinho, com dores na coxa esquerda, é dúvida. Clebinho pode aparecer como opção. Outra saída seria colocar Josa e montar a equipe com três volantes.

O técnico Nelsinho Baptista reservou dois dias seguidos, durante esta preparação pré-Clássico dos Clássicos, para movimentações fechadas à imprensa. Naturalmente, novidades podem ser apresentadas pelo treinador para o jogo de hoje. No momento, no entanto, apenas especulações poderão ser feitas. A lista de jogadores do Sport relacionados para o duelo traz novidades. O lateral-direito Raul Prata retornou às atividades após lesão e está à disposição para enfrentar o Timbu pelo Estadual. André, por outro lado, não participou da movimentação de ontem, mas tem boas chances de atuar. Vale lembrar que o jogador apresentou uma inflamação do joelho.

Caso siga a lógica apresentada durante os primeiros jogos no ano, Nelsinho deve manter a base da equipe. Em relação ao duelo contra o Afogados da Ingazeira, existe a possibilidade de Anselmo recuperar a vaga na cabeça de área, ocupada por Fabrício. Quem não jogará o clássico é o volante Rithely. O jogador, que chegou a ser testado entre os titulares antes do jogo contra o Afogados, no último sábado, alegou desconforto no tornozelo. Fonte: FolhaPE