CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

SE LIGA NAS MAROCAS 2018

Sanduíches seriam tão prejudiciais ao meio ambiente quanto carros

Variedade que mais consome carbono é o especial para café da manhã com ovos, bacon e salsichas comprado no mercado


O consumo anual de sanduíches no Reino Unido tem o mesmo impacto no meio ambiente que o uso de mais de oito milhões de carros por ano, afirmam pesquisadores da Universidade de Manchester em um estudo publicado nesta quinta-feira (25).

De acordo com a Associação Britânica do Sanduíche (BSA), 11,5 bilhões de sanduíches são consumidos a cada ano no Reino Unido, metade dos quais são preparados em casa e a outra metade comprada comercialmente.

Este consumo anual "gera em média 9,5 milhões de toneladas de CO2, o equivalente ao uso anual de 8,6 milhões de carros", compara a professora Adisa Azapagic, citada pela universidade. Os pesquisadores estudaram a pegada de carbono de 40 diferentes tipos de sanduíches. Os piores para o meio ambiente? Os com carne de porco (bacon, presunto ou salsicha) e os com queijo ou camarão.

A variedade que mais consome carbono é o especial para café da manhã com ovos, bacon e salsichas comprado no mercado. Os pesquisadores calcularam que a produção de um sanduíche deste tipo gera 1.441 gramas de dióxido de carbono, equivalente às emissões de CO2 produzidas por um carro que viaja a 12 milhas (19 quilômetros).

O mais limpo para o planeta é o de presunto e queijo preparado em casa. A produção, o processamento e armazenamento dos sanduíches, sua embalagem e transporte contribuem para o seu impacto no meio ambiente.

Os pesquisadores estimam que sua pegada de carbono pode ser reduzida em 50%, alterando receitas, embalagens e por meio da reciclagem de resíduos. A BSA também estima que o prolongamento da vida útil dos sanduíches flexibilizando datas de validade economizaria pelo menos 2.000 toneladas de resíduos por ano. Fonte: FolhaPE