CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Evite as doenças da má alimentação

Gastrite, anemia e fadiga são problemas comuns que exigem cuidados no estilo de vida


A lista de problemas ocasionados por uma alimentação desregrada em horário e pobre em nutrientes vai muito além da tríade diabetes, obesidade e colesterol elevado. Eles são os mais comuns, mas não os únicos quando existe a prática de ingerir comida pronta e industrializada, montar pratos muito gordurosos ou mesmo passar horas sem se alimentar. Eis que entram em cena doenças como gastrite, prisão de ventre, hipertensão arterial, anemia, fadiga e outros que você, certamente, lembrará ao decorrer desta reportagem.
Segundo a nutricionista Cristina Albuquerque, esse “esquecimento” acontece porque muitas pessoas, em certos casos, não sentem as consequências de imediato, mas, sim, na medida em que envelhecem. 

Resultado de uma vida regrada a alimentos ricos em sódio, conservantes e glutamatos, por exemplo. “Nosso corpo não consegue digerir isso tudo de forma correta, o que acarreta em várias doenças. É aquela história: fuja daquele alimento cheio de ingredientes e com nomes que você não consegue entender, sabe? É perigoso. Isso inclui embutidos, refrigerantes, sucos artificiais, caldos prontos e temperos também artificiais”, explica.

A desculpa é sempre a mesma: a pressa. Ela que impede um trabalhador de fazer seu próprio almoço ou, nos fins de semana, querer se aproximar mais da cozinha. A facilidade parece estar nas pedidas prontas, repletas de itens nocivos ao corpo. “Os alimentos que são de difícil digestão exigem muito mais do organismo, justamente porque requerem um gasto energético muito maior para a sua metabolização. Portanto, se você quer evitar a indisposição, procure consumir alimentos mais leves”, explica o nutrólogo Máximo Assinelli. Ele pontua, ainda, que "as verduras com a tonalidade verde-escuro como: couve, brócolis, escarola e espinafre também não podem faltar, pois são ricas em vitamina A, E, D e ácido fólico. Os sucos verdes preparados com abacaxi, couve ou hortelã podem ser indicados para quem precisa de mais disposição, por exemplo", destaca.

E nem pense que a má condução do cardápio é erro comum apenas em jovens de vida agitada e estressante. No consultório de Cristiane é frequente aparecer crianças com colesterol alto, mulheres e homens jovens com diabetes e hipertensão, além dos próprios idosos. Quando há um diagnóstico como gastrite - que é a inflamação do estômago - é preciso evitar comidas ácidas e aumentar o consumo de grãos integrais e raízes. Fazer atividades físicas regulares também ajuda nesse e em outros casos, como obesidade e hipertensão arterial. Na situação de anemia, a depender da causa, há deficiência de ferro e ácido fólico causada pelo excesso de alimentos refinados, que deverá ser suprida como espinafre, beterraba, alho, ovo e feijão de soja. "Lembrando que sempre supervisionado por profissionais responsáveis. Uma equipe multidisciplinar com médico, nutricionista e educador físico", completa a especialista. Fonte: FolhaPE