CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

SE LIGA NAS MAROCAS 2018

Em cerimônia religiosa afro pré-carnavalesca, milhares pedem paz em Olinda

Águas de Oxalá lava escadarias de igrejas da Cidade Alta e pede bênção à folia olindense


Em Olinda, milhares de pessoas participam na tarde deste domingo, no Alto da Sé, na Cidade Alta, do evento Águas de Oxalá. A cerimônia, que acontece pela 39ª vez, é realizada visando a pedir paz e tranquilidade para o ano que se inicia, além de abençoar os festejos de Carnaval por meio de uma lavagem das escadarias do largo das igrejas da Sé, do Nosso Senhor do Bonfim, do Amparo e de Guadalupe e uma procissão nas ruas do Sítio Histórico.

Este ano, o Águas de Oxalá ganhou implementos em sua infraestrutura. No local de apresentação da cerimônia e ponto de partida do cortejo, defronte à Igreja da Sé, foi instalado um palco por meio de patrocínio da Fundarpe. A Prefeitura de Olinda também disponibilizou dois ônibus para o transporte das filhas de santo, das mães de santo mais idosas e dos músicos.

O secretário de Patrimônio e Cultura de Olinda, Gilberto Sobral, lembrou que a cerimônia vem sendo realizada na Sé devido à reforma da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, mas que, em 2019, já poderá voltar ao local original. "É uma cerimônia de muito significado, que tem adesão total da população".

Comandado pelo babalorixá Tata Raminho de Oxóssi, da Roça Osùn Oparà Oxossi Ybualama, e organizado pelo artista plástico Silvio Botelho, o evento começou por volta das 16h40, com cerimônia na Sé. Depois, o público seguiu o andor em cortejo rumo às igrejas do Bonfim, do Amparo e Guadalupe, com término no terreiro de pai Raminho.

"Este é o primeiro evento do ano. Oxalá é o pai. Ele está dominando este ano. No meio do ano, entra Xangô. É um momento muito importante", afirmou a mãe Lu de Oxalá, primeira oxalá da casa. Presente à cerimônia com a esposa e dois dos quatro filhos, o percussionista e espírita kardecista Gilmar Bola 8 contou que costuma prestigiar o ato. "É a tradição de Pernambuco. A música pernambucana passa pela África. A lavagem do Bonfim é uma data que a gente sempre se reúne para pegar o axé do começo do ano. E termina em Cristo, em Jesus". Fonte: FolhaPE