CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Pessoas acolhidas em instituições e entidades de Uberlândia vivem momento de Natal com ceia e festa



Coordenadores de casas que acolhem idosos, moradores de ruas e aidéticos contaram como proporcionam a celebração e dão o verdadeiro significado à data.

Nas instituições de acolhimento de Uberlândia promovem uma festa especial de Natal para aqueles que não têm família ou não conseguem estar juntos durante a data especial. O G1 conversou com coordenadores e voluntários que trabalham casas que acolhem idosos, moradores de ruas, crianças e adultos. Eles contaram como proporcionam a celebração e dão o verdadeiro significado à data.

A Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista (Fale) acolhe pessoas que vivem e convivem com HIV e que perderam ou romperam com vínculos familiares. Segundo a coordenadora Sandra Aparecida Maciel, o Natal na casa começou mais cedo com confraternização diferente no início do mês. Mas uma festa está programada para a noite deste domingo (24).


A ceia contou com 25 voluntários que visitaram o local há alguns dias. Entre eles Christian Alves que sempre ajuda a instituição e neste ano, juntamente com os demais, resolveram resgatar a essência do Natal.

"Com isso, a nossa ideia foi a representação da Santa Ceia. Nós projetamos filmes, realizamos palestras, rodas de conversa e os próprios moradores confeccionaram os pães que foram usados no evento”, contou. Todos receberam figurinos para uma encenação coletiva.


Mas a noite de Natal não passa em branco no local onde, atualmente, vivem cerca de 50 pessoas, entre crianças e adultos. De acordo com Sandra, eles já ganharam um pernil e neste domingo (24) farão um jantar especial, preparado pelos próprios moradores. “Temos nossa própria festa de fim de ano”, concluiu.

Aconchego para moradores de rua
Já a casa Santa Gemma atende e acolhe moradores de rua. De acordo com o coordenador e fundador, Jack Albernaz, a festa de Natal já é tradição na instituição e o trabalho nesta data é feito desde 2004.

“No dia 25 nós saímos cedo, vamos buscar moradores de rua que tiverem interesse de participar e levamos para sede. Lá há orações, reflexões, música, corte de cabelo, banho, trocas de roupa e no fim o mais especial: a ceia com comida típicas, frutas, pernil, panetone, peru e lasanha. Não pode faltar a nossa famosa lasanha! Um dia inteiro de solidariedade”, disse ele.


Na ação cerca de 50 voluntários atendem 150 pessoas em situação de rua. Mas, além desse projeto, há uma comemoração especial para os 18 que moram na casa. “Na noite de Natal, como é mais complicado de achar voluntários, fazemos um jantar especial mais intimista para celebrar a data”, contou.

Casas de repouso
Na Casa de Repouso Elim, duas festas de Natal são preparadas para os 13 idosos que vivem no local. “Nós fazemos uma semana antes uma confraternização, onde chamamos famílias, funcionários e amigos”, contou a coordenadora Denise Jager. Este ano, a festa foi realizada no último sábado (16) e contou com 40 pessoas. “Fizemos almoço, sobremesa, mesa de frutas, música com sanfoneiro e houve entrega de presentes”, disse ela.

Segundo a coordenadora, no dia 24 é inviável a preparação de uma ceia, já que os idosos costumam dormir antes das 19h. “Por isso, fazemos no dia 25 um almoço especial, com um cardápio especial, muita fartura e decoração natalina”, concluiu.

Outra casa de repouso que promove a festa aos moradores é a Espaço Bem Estar. Assim como a Elim, eles preparam uma festa antes do Natal. “Optamos por uma comemoração antes, chamando as famílias, porque na realidade a maioria não levam os idosos para passar o Natal com eles”, relatou a proprietária Claúdia Salge.

Para a ceia, não há nada especial pelo fato do horário de dormir dos idosos. Mas na segunda-feira (25), o Natal na casa será celebrado com um almoço especial, cardápio diferenciado e carinho àquelas da terceira idade.
Fonte: G1