CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

SE LIGA NO CLIP GOSPEL

CLICK NA TV SE LIGA E ASSISTA

Motorista bêbado que matou três e feriu duas pessoas em acidente na Zona Norte do Recife vira réu


João Victor Ribeiro de Oliveira responde por homicídio duplamente qualificado de três pessoas e por tentativa de homicídio duplamente qualificado de duas vítimas. Justiça aceitou denúncia do MPPE.

A 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital aceitou a denúncia do Ministério Público de Pernambuco contra João Victor Ribeiro de Oliveira, de 25 anos, motorista que estava bêbado quando colidiu contra o carro das vítimas em um cruzamento na Zona Norte do Recife. Agora réu, ele responde por homicídio duplamente qualificado de três pessoas e por tentativa de homicídio duplamente qualificado de duas vítimas.

O homicídio é duplamente qualificado por uso de meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas Maria Emília Guimarães da Mota Silveira, 39 anos, esposa de Miguel e mãe de Marcela; a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23 anos, que estava grávida; e Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de 3 anos, filho de Maria Emília e Miguel Filho.

Já a tentativa de homicídio duplamente qualificado pelos mesmos meios correspondem ao advogado Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 46 anos, e filha dele, Marcela Guimarães da Motta Silveira, de 5 anos. O processo ficou a cargo do juiz Ernesto Bezerra.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco, agora se inicia a fase de instrução do processo. Nela, são ouvidas testemunhas e o réu. Em seguida, há a decisão se o réu vai ou não para júri popular.

Denúncias e investigações

No dia 7 deste mês, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ofereceu à Justiça uma denúncia-crime contra João Victor Ribeiro de Oliveira. Segundo o documento da promotora de justiça Ana Maria Sampaio Barros Carvalho, o MPPE sustenta que houve triplo homicídio e duas tentativas de homicídio, devido aos dois sobreviventes que estão internados.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, divulgadas no dia 5 deste mês, João Victor ingeriu álcool durante horas consecutivas, misturando, inclusive, bebidas como cerveja e uísque. Perícias técnicas apontaram que o veículo conduzido pelo estudante de engenharia estava a 108 quilômetros por hora, quando o máximo permitido na via em que ele trafegava é de 60 quilômetros por hora. (Veja vídeo acima)
No dia do acidente, João Victor Ribeiro de Oliveira, de 25 anos, foi detido pela Polícia Civil. Em 27 de novembro, após uma audiência de custódia, ele teve a prisão preventiva decretada e seguiu para o Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, indiciado por triplo homicídio doloso, com intenção de matar, e lesões corporais graves.



A Polícia Civil também investiga uma agressão denunciada por uma vizinha de João Victor. Ela e o namorado prestaram depoimento na Delegacia de Peixinhos, em Olinda, no dia 29 de novembro. Segundo a polícia, o casal relatou que a agressão aconteceu em agosto de 2017.

Outro inquérito contra João Victor foi aberto para investigar uma agressão ocorrida em um posto de gasolina na Avenida Carlos de Lima Cavalcanti, em Olinda, em outubro deste ano. De acordo com o delegado Rômulo Ayres, o homem agredido, que é segurança do posto, contou, durante depoimento, que o estudante chegou dirigindo bêbado e tentou atropelar o funcionário.


Vítimas

O advogado Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 46 anos, recebeu alta no dia 10 deste mês do Hospital Santa Joana, unidade de saúde em que ele estava internado desde o dia da colisão. A filha dele, Marcela Guimarães da Motta Silveira, permanece na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) pediátrica do hospital. (Veja vídeo acima)

Maria Emília e Miguel, mãe e filho, foram sepultados em um cemitério em Paulista, no Grande Recife, enquanto Roseane foi enterrada na cidade de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Depois do acidente, as vítimas receberam homenagens no local da colisão. Fonte: G1