CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

'Ele estava desistindo da vida', diz PM que fez oração para homem esfaqueado em PE

Péricles da Silva, de 37 anos, estancou sangue e orou por vida de vítima enquanto aguardava o Samu. 'Eu até agora estou sem saber o que dizer. Não sabia que estava sendo filmado', falou o PM.


O policial militar Péricles da Silva Albuquerque, de 37 anos, que ficou conhecido após socorrer um homem esfaqueado e orar pela vida dele em Palmares, na Mata Sul de Pernambuco, afirmou não ter noção da proporção que o vídeo tomou. Ao G1, o soldado contou que no momento do chamado foi informado que a vítima estaria morta.

"Quando fui para ocorrência me disseram que a vítima estava sem vida. Quando cheguei, com mais dois policias, percebi que o homem mexeu o braço, que estava vivo. Coloquei a luva e fui tentar estancar o sangue para evitar o óbito. Estava com o mínimo de material e pedi pano a todo mundo, ele estava perdendo muito sangue", disse.

"Eu até agora estou sem saber o que dizer. Não sabia que estava sendo filmado", falou o policial.

Na Polícia Militar de Pernambuco há quase 9 anos, o "SD Péricles" é lotado no 10º Batalhão, em Palmares. Ele explicou porque fez a oração enquanto o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


"Ele estava desistindo da vida. Quando estava perdendo a consciência, ele olhou para mim, disse que estava indo embora e pediu para orar por ele. Foi quando senti que ele não queria mais lutar pela vida. Como cristão, na hora comecei a oração. Pedi a Deus que o ferimento não tirasse a vida dele. Acredito que fui usado como instrumento do Pai", pontuou Péricles.

A vítima socorrida pelo policial foi levada para o hospital Regional de Palmares, passou por cirurgia e não corre risco de morrer. O PM afirmou que ainda não viu o homem após a ocorrência. "Recebi a foto dele e descobri que está se recuperando. Ainda não fui visitá-lo. A família dele me procurou, me agradeceu, mas ainda não tive oportunidade de reencontrá-lo".

"As pessoas sempre acham que a PM age com truculência, não quer saber da vítima, age com despreparo. Mas não é assim, nós chegamos para ajudar", finaliza o policial militar. Fonte: G1