CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Dia D para a relação entre Santa Cruz e Grafite

Diretoria tricolor está otimista em ter atacante por mais uma temporada


A diretoria do Santa Cruz e Grafite se reúnem nesta sexta (22) para conversar sobre o ano de 2018. O encontro entre as partes, que aconteceria na tarde da última quinta (21), mas foi remarcado por conta da ausência do ex-presidente Alírio Moraes, pode definir o futuro do atacante. As conversas estão sendo conduzidas pelo mandatário Constantino Júnior e o vice Tonico Araújo, ambos otimistas em renovar o contrato do ídolo coral por mais uma temporada.

A dívida do passado é o maior entrave da negociação. O clube ainda deve salários deste ano ao camisa 23, além de algumas pendências financeiras de 2016. Ele espera o pagamento dos atrasados, enquanto a cúpula tenta parcelar os vencimentos. Apesar do empecilho, o centroavante já revelou que deseja seguir na Cobra Coral. Ainda no fim do Campeonato Brasileiro da Série B, pensou em pendurar as chuteiras, porém adiou a aposentadoria. Assim que encerrar a carreira, seu projeto é virar diretor de futebol.

Aos 38 anos de idade, Grafite é considerado uma referência no Santa. O currículo dele no futebol fala por si só. O centroavante defendeu grandes clubes brasileiros, como Grêmio, Goiás, São Paulo e Atlético/PR. Fora do País, também fez história. Jogou no Le Mans (França), Wolfsburg (Alemanha), Al Ahli (Emirados Árabes) e Al-Sadd (Catar). Seu ápice foi em 2010, quando disputou a Copa do Mundo de 2010 pela Seleção Brasileira.

O técnico Júnior Rocha exaltou a importância do experiente jogador no planejamento. Além da liderança tanto dentro como fora de campo, o veterano é visto como solução para o ataque. “Ele (Grafite) seria fundamental para o nosso modelo de jogo. Não é fácil achar um camisa 9. Quem acompanha o mercado de transferências sabe que está todo mundo atrás de um centroavante. Há pouco tempo, inclusive, o Internacional cogitou a contratação dele”, ressaltou.

Grafite acumula quatro passagens pelo Tricolor (2001, 2002, 2015-2016 e 2017) e algumas conquistas, como o título inédito da Copa do Nordeste 2016 e do Campeonato Pernambucano e um acesso à Série A em 2015. Ao todo, são 123 partidas com a camisa coral e 50 gols marcados, sendo três deles este ano. A temporada 2017 foi melancólica. Além do rebaixamento à Série C, não conseguiu render no Atlético-PR, onde balançou as redes apenas uma vez em 24 jogos no primeiro semestre. Fonte: FolhaPE