CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV BOA ESPERANÇA

CLIP GOSPEL

TJPE lança campanha de adoção tardia para mudar tendência de procura só por crianças pequenas


O número de pretendentes à adoção no Brasil chega a ser mais que o triplo da quantidade de crianças e adolescentes à espera de um lar. No entanto, mais de 70% dos candidatos a pais e mães preferem crianças com menos de três anos de idade. No país são 39.399 adotantes inscritos no Cadastro Nacional de Adoção e 7.529 crianças e adolescentes disponíveis. Pernambuco tem 1.028 pretendentes e 324 crianças e adolescentes. A campanha Adote - adotar é saber deixar alguém te amar, lançada na manhã de ontem pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) pretende mudar essa realidade e ampliar o número de adoções tardias. 
 
Atualmente existem 269 crianças de 3 a 17 anos disponíveis para adoção no estado. O ideal procurado pela maioria, entre recém-nascidos e crianças de até 3 anos, representa 17% dos cadastrados. Essa disparidade dificulta o acolhimento, já que os adolescentes e grupos de irmãos têm menos oportunidade de adoção. A Vara da Infância e Juventude pretende estimular futuros pais a aumentar a faixa etária. 
 
“É um sentimento natural que as pessoas procurem adotar uma criança mais jovem para exercer a paternidade ou maternidade deste o começo. Entretanto, não só essas as crianças que são disponibilizadas. É preciso que se mostre que, para dar e receber amor, a questão da idade não pode ser predominante”, comentou o desembargador Luiz Carlos Figueredo, coordenador da Infância e Juventude do Estado. 
 
Do total das 1.226 crianças e adolescentes adotados no Brasil em 2016, 103 foram de Pernambuco. De acordo com o TJPE, o estado figura entre os cinco que mais promoveram adoções no ano passado. 
“Pernambuco é o quarto estado da federação que mais adota, mas podemos fazer mais. É muito importante o esclarecimento sobre as formas de adoção e apadrinhamento. Fico feliz de participar junto do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e Poder Executivo para fazer uma campanha bonita de esclarecimento, que com certeza vai diminuir a desigualdade social”, disse o governador Paulo Câmara. A cerimônia também teve participação do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchôa. 
 
Para adotar uma criança é preciso requerer o cadastramento em uma Vara da Infância e Juventude da Comarca da cidade e cumprir as etapas para a habilitação. É necessário ter mais de 18 anos, preencher o requerimento de inscrição com dados pessoais e apresentar documentos como atestados de sanidade física e mental, certidão de antecedentes criminais e certidão negativa de distribuição cível. Depois dessa etapa é necessário participar de um programa de preparação nos aspectos jurídicos, sociais e psicológicos da adoção, de acordo com o TJPE. 
 
Homenagem 
No início da cerimônia de lançamento da campanha Adote - adotar é saber deixar alguém te amar, no Palácio da Justiça, o presidente do presidente do TJPE, desembargador Leopoldo Raposo, pediu um minuto de silêncio pela morte da servidora do Poder Judiciário Maria Emília Guimarães, de 39 anos, do filho dela, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de 3 anos, e da babá Roseana Maria de Brito Souza, de 23 anos, mortos na colisão ocorrida na noite do domingo, no bairro da Tamarineira.  Fonte: Diário de Pernambuco