CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Rival no domingo, Sheik sonha em encerrar carreira no Corinthians. Mas tem chance?

Entenda o que o Timão pensa sobre o atacante da Ponte


Adversário do Corinthians neste domingo, em confronto importantíssimo para o Timão na busca pelo título brasileiro, Emerson Sheik pode enfrentar por uma das últimas vezes na carreira a equipe em que mais brilhou e onde pretende parar de jogar.

Aos 39 anos, o atacante da Ponte Preta não esconde dos amigos que o desfecho ideal de sua carreira seria no Corinthians, por quem foi herói na conquista inédita da Taça Libertadores em 2012. Em março deste ano, antes de acertar com a Macaca, Emerson projetou o fim da carreira para o primeiro semestre de 2018 e reafirmou o desejo.

– Por tudo o que foi conquistado, pelo meu relacionamento com torcedores e funcionários, tenho o desejo de encerrar no ano que vem pelo Corinthians – afirmou ao canal "Fox Sports".

Na ocasião, a frase ganhou repercussão e o jogador passou a ser cogitado como um reforço por parte da torcida para a temporada, já que estava livre no mercado.


Apesar do bom relacionamento com o veterano, os membros do departamento de futebol não levaram o assunto a sério, uma vez que a busca era por jovens. Willian Pottker, de 23, então na Ponte, era o alvo do momento. Clayton, de 21, do Atlético-MG, firmou contrato pouco depois.

Quase oito meses após a declaração, Sheik segue reforçando às pessoas próximas o grande desejo de vestir a camisa alvinegra novamente. Na visão do atacante, a eleição de Andrés Sanchez, apontado como favorito para concorrer na eleição de fevereiro pela situação, tornaria a possibilidade mais real, uma vez que o jogador e o dirigente sempre foram grandes amigos.

No Corinthians de Roberto de Andrade e Fábio Carille, o planejamento para 2018 já vem sendo feito – e sem o nome de Sheik. Uma partida festiva de despedida organizada pelo departamento de marketing, caso a aposentadoria dele seja mesmo confirmada, não pode ser descartada.
Fonte: GloboEsporte