CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Duas coisas que eu não entendo, Dr. Evandro Mauro


DUAS COISAS QUE EU NÃO ENTENDO
        
Das muitas coisas que eu não entendo, falarei de duas que entendo muito menos.

Primeira: O atual vereador e ex-presidente da AEB - Autarquia Educacional de Belo Jardim, Wilsinho, propôs um projeto de lei para criação de um Fundo Patrimonial, este, com a finalidade de arrecadar recursos financeiros para aquela instituição de ensino, muito bem.

Segunda: O atual vereador e ex-secretário de Cultura, Nilton Senhorinho, propôs projeto de lei que reserva 30% (trinta por centos) dos recursos destinados às festas promovidas pelo município para a contratação de músicos da cidade, ótimo.

Tudo seria muito bom e bonito se não fosse no mínimo estranho, vejamos.

O vereador Wilsinho foi presidente direito e indireto da AEB por anos, poucas pessoas conhecem as reais condições financeiras daquela instituição como ele mesmo. Eu só não entendo, então, por que o vereador não propôs esse mesmo projeto quando era presidente da autarquia, e quando tinha um grupo político que comandava a câmara de vereadores. É de se pensar que: ou aquela instituição gozava de plena saúde financeira, ou, contábil/fiscalmente os sucessivos balanços negativos eram “interessantes” administrativamente. Sigamos.

O vereador Nilton Senhorinho, proponente do projeto de lei que reserva 30% para os músicos da cidade nas festas da prefeitura, fui, por anos e anos, secretário de cultura dessa cidade. Eu também não entendo por que ele próprio, quando era secretário, não propôs o mesmo projeto, pois ele também era do grupo de maioria na câmara de vereadores. Ou será que os músicos de hoje merecem mais que os de “ontem”? Será que não são os mesmos músicos que foram esquecidos e humilhados pelo grupo político do vereador, e esquecidos por ele próprio, quando secretário?

Taí, duas coisas que eu não entendo. Mas, graças a Deus, os nobres vereadores acordaram, e agora querem reparar os erros cometidos por seu grupo político, ...eu acho.

Texto: Dr. Evandro Mauro