CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

“País não nasceu para ser a m... que é”, dispara lula na Bahia


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) descreveu, na manhã deste sábado (19), na Bahia, um cenário nebuloso para o país. “Este país tem jeito. Não nasceu para ser a merda que ele é. Este país é grande demais”, disparou, sem meias palavras. Ao lado do governador do Estado, Rui Costa (PT), e do ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner (PT), Lula lamentava a situação financeira dos municípios diante de 60 prefeitos do Estado, além de deputados estaduais e federais.    

Após a afirmação, Lula pediu desculpas pelos termos usados. Uma hora depois, para um público formado por militantes do Movimento dos Sem Terra (MST), Lula se comparou a um galo de briga. Após criticar a imprensa e chamar o empresariado de mal-agradecido, ele disse que seus opositores têm medo de sua eleição porque sabem “o que vai acontecer”.    

No discurso, ele disse que tinha que poupar a voz para não chegar “cacarejando” nas cidades que compõem a caravana pelo Brasil. “Tenho que chegar como galo de briga. Falando grosso”, brincou. Ao falar “daqueles que resolveram infernizar” sua vida, Lula disse que não é como os políticos que colocam o rabo entre as pernas. “Sou temente a Deus. Não sou temente aos homens”, disse.   

Dirigindo-se à plateia de trabalhadores rurais, ele afirmou que cuidará deles se eleito, porque sabe quem ficou ao seu lado. Presenteado com um chapéu de couro, usado pelos vaqueiros do Nordeste, afirmou: “Eu achava que sou corajoso. Agora com esse chapéu e jaleco, pode acreditar que vai acontecer muito mais coisa neste país”.    

À noite, em Feira de Santana, ainda na Bahia, o ex-presidente voltou a atacar a classe política, afirmando que não é possível o eleitor reclamar e, na hora do voto “colocar uma raposa lá dentro do galinheiro”. No mês passado, Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Ele se diz inocente. “Não é possível a gente passar o ano inteiro falando que tem que melhorar e na hora do voto colocar uma raposa la dentro do galinheiro. A gente precisa ficar mais esperto. Não dá para votar num cidadão sem saber se ele é raposa ou não”, disse, durante um ato do Fórum Baiano de   

Agricultura Familiar.  
Segundo os organizadores, participaram do evento, realizado na Estação da Música, 5 mil agricultores familiares. Vestindo chapéu de couro e jaleco de boiadeiro, Lula pediu aos eleitores que votem com mais “consciência” para afastar as “raposas” da política. O petista afirma que será candidato a presidente da República em 2018. A condenação de Moro aguarda julgamento no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) e, se confirmada a sentença no caso do triplex, ele ficará inelegível. Fonte: Diário de Pernambuco