CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Bolsonaro percorre o país bancado pela Câmara


Pré-candidato à Presidência da República, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem viajado pelo país com passagens aéreas bancadas pela Câmara para participar de atividades políticas. Em um primeiro momento, a assessoria de imprensa do deputado afirmou que esses deslocamentos eram pagos por Bolsonaro do próprio bolso. Depois, confrontada com a prestação de contas da cota parlamentar a que tem direito, a assessoria do deputado afirmou que essas atividades têm relação com o exercício do mandato.

Os deputados federais têm direito a reembolso de despesas com passagens aéreas, alimentação, hospedagem e aluguel de carros, entre outras, desde que exclusivamente vinculadas ao exercício da atividade parlamentar. A cota de Bolsonaro é de R$ 35.759,97 por mês. O valor depende da unidade da federação que o deputado representa, por causa da variação do preço das passagens aéreas entre Brasília e o domicílio eleitoral.

De acordo com a prestação de contas da cota parlamentar, o gabinete de Bolsonaro emitiu, no dia 5 de julho, por exemplo, passagens para o deputado viajar de Brasília para Campo Grande (MS) e retornar para o Rio, com escala em Campinas, pela Gol. Não é possível verificar as datas dos voos. A ida custou R$ 804,64 e a volta para o Rio, R$ 915,39.

Uma semana depois, no dia 12 de julho, Bolsonaro chegou no aeroporto Campo Grande para uma agenda de dois dias. Ele foi recebido, como de costume, por uma multidão aos gritos de "mito", "Bolsonaro presidente da República" e "nossa bandeira nunca será vermelha", em referência ao PT, um de seus principais alvos.

O deputado fez um discurso logo depois de desembarcar. “No que depender de mim, todo cidadão de bem terá o direito de ter uma arma de fogo em casa”, afirmou ele, em seu discurso, ressaltando logo em seguida que não estava em campanha.

Essa tem sido uma preocupação de Bolsonaro para evitar eventuais punições da Justiça por propaganda eleitoral antecipada.

“Deixo claro que essa nossa viagem não tem qualquer conotação político partidária e muito menos eleitoral”, disse ele, em vídeo para anunciar sua visita a Mato Grosso do Sul.

A principal agenda no estado era no dia seguinte, no município de Nioaque: a celebração dos 150 anos da retirada da Laguna, um dos episódios mais dramáticos da Guerra do Paraguai. Bolsonaro serviu de 1979 a 1981 no 9º Grupo de Artilharia de Campanha (9º GAC), uma unidade do Exército localizada em Nioaque.

No dia 5 de maio, o gabinete de Bolsonaro emitiu passagens de Brasília para Florianópolis, por R$ 571,69, e de Navegantes (SC) para o Rio, a R$ 1.179,39, pela Gol. O deputado chegou na capital de Santa Catarina no dia 18 de maio e fez palestras nos dias seguintes em Joinville, Jaraguá do Sul e Blumenau, além de conceder entrevistas.

Na mesma data, 5 de maio, foram emitidas passagens para Bolsonaro de Brasília para Londrina (PR), por R$ 568,69, e de Maringá (PR) para o Rio, a R$ 1.097,39. Os dois trechos foram comprados na Gol. O deputado fez palestras em Londrina, no dia 25 de maio, e em Maringá, no dia seguinte.

Na quinta-feira, Bolsonaro foi alvo de uma ovada durante visita a Ribeirão Preto (SP). Em vídeo divulgado em redes sociais, o político aparece dentro de uma lanchonete, cercado de apoiadores, quando uma manifestante o atinge com um ovo no ombro. Bolsonaro estava na cidade para palestra organizada pelo PEN (Partido Ecológico Nacional). Surpreso após a hostilidade, Bolsonaro deixa o local em seguida, enquanto a mulher foi contida. Fonte: O Globo