CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Domingo (2/7) será de eleição em Belo Jardim, PE

Neste domingo, 2 de julho de 2017 vai acontecer a Eleição Suplementar no município de Belo Jardim. A votação terá início às 8 horas com término as 17 horas. São 3 os candidatos: Gilvando Estrela (PV), pela coligação “União Por Belo Jardim”; Hélio dos Terrenos (PTB), coligação “Belo Jardim Para Todos”; e Luiz Carlos (PSB), da coligação “Belo Jardim em Boas Mãos”.  

Conforme determinado pela resolução TRE-PE 290/2017, só poderão votar os eleitores que fizeram sua inscrição ou transferiram seu título para Belo Jardim até o dia 1º de fevereiro de 2017. Serão 58.944 eleitores, divididos em 161 seções, em 35 locais de votação, sendo o maior deles o Colégio Diocesano - Monsenhor Francisco de Assis Neves, com 5.404 eleitores aptos.    

Para o pleito deste domingo, serão utilizadas 161 urnas de seção e 20 urnas de contingência. A Justiça Eleitoral contará ainda com o apoio de 644 mesários.    

Belo Jardim é sede da 45ª Zona Eleitoral, tendo como juiz eleitoral Demétrius Liberato Silveira Aguiar; o promotor eleitoral Daniel de Ataíde Martins; o chefe do cartório, Lauro Sylvio dos Santos Neto; e os servidores Adriana Albuquerque, Luciana dos Santos Nascimento e Magda Pacheco. Também estão dando apoio a essa eleição as servidoras Jailda Ramos e Taizi Freitas.  

Saiba mais sobre a Eleição Suplementar de Belo Jardim 

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 11 de maio, decidiu, por unanimidade, pela realização de eleições suplementares no município de Belo Jardim, no agreste pernambucano.   

O candidato João Mendonça (PSB), que havia vencido o pleito de 2016, teve o registro de candidatura impugnado pelo Ministério Público e coligações adversárias por improbidade administrativa com dano ao erário e enriquecimento ilícito. Ele concorreu à eleição de 2016 com o registro indeferido, aguardando julgamento definitivo do recurso pela Justiça Eleitoral. João Mendonça estava no cargo amparado por liminar concedida pelo TSE.  

Desde então, como determina a legislação eleitoral, a prefeitura foi assumida interinamente pelo presidente da Câmara de Vereadores até o resultado das eleições suplementares. O prefeito interino é Gilvando Estrela (PV), que também decidiu concorrer às eleições, acumulando o cargo com a campanha. Essa situação é permitida pela Justiça Eleitoral, conforme manifestação do TSE na consulta n° 1187-MG, de 16/12/2005 Fonte: TRE-PE