CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Em jogo com quatro pênaltis, Náutico não segura pressão do Inter e reassume lanterna

Enfrentar o Internacional em Porto Alegre é o tipo do jogo que não se sonha com vitória. Um empate já é considerado um bom resultado por conta da força do adversário na sua casa. Algo que o Náutico conseguiu nos primeiros 45 minutos, mas a sensação era que ir para o intervalo sem perder era apenas um golpe de sorte. E foi. A derrota por 4 a 2 comprovou que ainda falta muito para este time evoluir, principalmente por não saber se defender de forma efetiva e atacar de forma tímida e desorganizada.

Além do resultado negativo, o Náutico ainda voltou a ocupar a lanterna da Série B. Com os resultados da rodada, o Timbu pode até sair da última posição na próxima rodada, mas seguirá na zona de rebaixamento mesmo com vitória na Arena de Pernambuco na próxima rodada, contra o Paraná.

O Náutico mais uma vez veio escalado com três volantes e três atacantes. A única diferença em relação à última partida foi a entrada de Vinícius, que fez a sua estreia, na vaga de Jefferson Nem. Mais uma vez ficou claro que existia um grande espaço entre o meio de campo e o ataque e os chutões foram o único modo encontrado pelo Timbu para chegar aos seus jogadores ofensivos. Algo que aconteceu muito pouco no início da partida não apenas por falta de qualidade do Alvirrubro, mas principalmente porque o Internacional não permitia e foi agressivo.

Com três minutos de partida, Carlos abriu o placar de cabeça após cruzamento de William Pottker, mas o gol foi anulado. O auxiliar marcou impedimento de forma errada. Situação que o Internacional não se prendeu e em jogada bem parecida, aos nove minutos, Carlos marcou novamente e desta vez o auxiliar não viu nenhuma irregularidade. O atacante se antecipou a David e cabeceou sem chance para Tiago Cardoso. 

O gol criou a sensação de que o segundo gol sairia a qualquer momento. Os ataques constantes pelas laterais penetravam com facilidade e o Timbu não reagia. Uma miragem que durou 44 minutos. Erick fez grande jogada no segundo, e último ataque, do Náutico na primeira etapa e Vinícius estreou marcando gol. O camisa 91 desviou na primeira trave e deixou tudo igual.    

Segundo tempo

Guto Ferreira sabia que seu time era muito melhor do que o Alvirrubro e não perdeu tempo. Tirou Nico López e promoveu a entrada de Marcelo Cirino. Quando o juiz autorizou o início da segunda etapa foi para cima do Timbu e o resultado foi visto rapidamente. No primeiro lance de ataque Edenílson quase desempatou, mas foram os lances que envolveram Nirley que mudaram o jogo. 

Aos três minutos o defensor puxou a camisa de Marcelo Cirino e o árbitro marcou pênalti. William Pottker cobrou e desempatou. Aos 11 minutos, Pottker marcaria o segundo, mas o zagueiro tentou dar um carrinho para evitar o gol e terminou desviando com a mão. Novo pênalti, expulsão do zagueiro e o terceiro gol colorado, mas desta vez de D’Alessandro. Fonte: Diário de Pernambuco