CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Gato “terapeuta” é especialista em acalmar animais em hospital

O gato Ron foi resgatado de uma colônia de gatos ferozes aos três meses de idade, junto com mais três irmãos, Harry, Hermione e Luna. Ao chegar ao abrigo, ele estava muito assustado e não queria sair de seu esconderijo, mas não demorou para que Ron se tornasse o gato terapeuta do hospital veterinário.   

Assim que se adaptou ao novo ambiente, ele começou a se mostrar muito interessado em conhecer todos os animais que chegavam no hospital. O gato terapeuta já não tinha mais medo e queria mostrar aos outros animais que eles também não precisavam ter. “Ele chegava perto de qualquer outro gato ou cachorro sem medo, subia nas gaiolas ou nas mesas onde os animais estavam recebendo vacina”, contou a veterinária e proprietária do Northfield Veterinary Hospital Shelly Sandel ao portal de curiosidades animais The Dodo.
Ron agia como se fosse funcionário do hospital, indo cumprimentar todos os pacientes e os funcionários. Além disso, ele também fazia companhia aos animais que estavam passando por algum procedimento. “Ele começou a se abraçar a qualquer animal que estivesse sendo anestesiado para tratamento dentário. Ron arrumava os pets enquanto eles estavam dormindo, buscando confortá-los”.   

Com o tempo, pessoas que tinham que levar os animais ao hospital começaram a pedir para que eles pudessem ser atendidos, também, por Ron. Os funcionários do hospital veterinário perceberam que o gato era muito mais sensível do que eles quanto ao estado emocional do animal. “Uma vez tivemos um gatinho muito agressivo aqui e o dono nos avisou que seria quase impossível examiná-lo por causa de seu temperamento. Tentamos manter Ron longe de animais violentos, mas ele escapou e correu para o gatinho, mas eles logo se tornaram amigos. Eles ficaram se tocando e se lambendo e o gatinho não deu nenhum problema na hora do exame.
Depois de três meses e meio “trabalhando” no hospital, Ron foi adotado por uma família que tem uma criança e um cachorro idoso, que já ama se abraçar com o gato. Fonte: Diário de Pernambuco