CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

'É tudo muito emocionante', afirma Aline Riscado sobre atuar em Nova Jerusalém

Aline Riscado falou sobre como se preparou para interpretar a rainha Herodíades (Foto: Joalline Nascimento/G1)
A bailarina e modelo Aline Riscado está pela primeira vez em Fazenda Nova para participar do espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. Nesta temporada, ela interpreta a rainha Herodíades.   

Ao G1, ela contou como se preparou para dar vida à personagem e ainda destacou a emoção de atuar para cerca de sete mil pessoas por noite.   

Como foi receber o convite para interpretar a rainha Herodíades no cinquentenário da Paixão de Cristo? Foi um convite através do Robinho [Robinson Pacheco, coordenador geral da Paixão de Cristo]. Eu não pensei duas vezes. Fiquei muito feliz e aceitei. Comecei a estudar sobre a personagem, fiquei cada vez mais empolgada, pesquisando sobre o evento que é feito no maior teatro a céu aberto do mundo. Então, foi super legal!   

Como você se preparou para dar vida à rainha Herodíades? Eu estudei. Procurei saber mais do que eu vagamente sabia. Assisti vídeos para ter inspirações. A cena em si é pequena, mas é uma cena que fala muito. Então, às vezes um olhar, em um momento que você não está falando, é muito importante. Foi mais um estudo mesmo. Tivemos uma semana de ensaio em Nova Jerusalém, teve a questão do figurino, do cenário... Foi tudo muito inspirador.   

Qual a sensação de atuar para um público de cerca de sete mil pessoas? É uma energia indescritível! Não pensei que fosse tão emocionante. A gente conta a maior história de amor do universo para milhares de pessoas. Além de ser uma grande responsabilidade, a gente vive aquela emoção. É muito gratificante, muito especial.   

Como é a sua ligação com a fé? Eu gosto muito do espiritismo. É lá que eu vou quando preciso reforçar minha fé. Eu era católica quando criança. Estudei o catolicismo. Eu procuro pegar o que me faz melhor de cada religião. Porque eu acho que a religião é você estar bem consigo mesmo e ter fé. Tem gente que não precisa ter alguma coisa para ter fé, tem gente que simplesmente acredita em si e faz o bem. Mas acaba que tudo é a mesma coisa. O importante é fazer o bem independentemente de religião.   

Então essa fé te motivou a fazer parte da Paixão de Cristo? Sem dúvidas. É uma história linda, de amor, e que inspira a todos nós. Independentemente de religião, é uma história que todo mundo ama e tem vontade de assistir.   

Pela cena que você participa, não tem como você ver o espetáculo todo. Mas, sabendo do que é encenado, tem algum momento que considera o mais emocionante? É tudo muito emocionante. Mas a crucificação, a ressurreição... A história é contada de uma forma muito bonita. A última cena é a que arrepia. Depois de tanto sofrimento, a ressurreição traz a felicidade e a esperança para todo mundo. Fonte: G1 Caruaru