CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Recém-nascido é derrubado no chão por enfermeira e sofre fratura na cabeça

Uma enfermeira derrubou um bebê ao entrar no quarto para trocar os lençóis, pois não percebeu que ele estava em cima da cama, no Distrito Federal. A família disse que ela fez a coleta tão rápido que as colegas que estavam no local não tiveram tempo de avisar. A queda foi de aproximadamente um metro e deixou o menino com hematoma na cabeça, no dia 21 de março de 2017.   

Apesar de ter sido liberado para permanecer com a mãe, o bebê acabou tendo um agravamento de saúde e teve que ser transferido para o Hospital de Base do DF (HBDF) pelo Samu. O pai da criança declarou que a mãe tinha ido ao banheiro quando deixou o bebê deitado sobre o leito. O parto havia sido realizado há algumas horas, no Hospital Regional da Gama e o bebê já estava descansando. Ele foi resgatado poucos minutos após ter caído, no meio das roupas sujas.   

De acordo com o G1, a Secretaria de Saúde informou que está apurando o caso. O diretor do hospital, José Macedo, declarou que a medida imediata da instituição foi o cuidado com a criança com exames e o encaminhamento do bebê para o Hospital da Base. Sobre a enfermeira, ele disse que foi aberto um processo administrativo que será encaminhado para a Corregedoria.   

“A funcionária tem experiência e sempre teve uma boa avaliação. Esse é um caso isolado. Nós investigamos e o plantão não estava sobrecarregado. Foi uma fatalidade com a assistência realizada pela servidora. Por ano, nascem de 8 mil a 9 mil crianças em nosso hospital e, fui investigar, isso nunca tinha acontecido”, declarou.   

Os pais prestaram queixa para a Polícia Civil e, segundo o delegado responsável pelo caso, Ulysses Campos, há suspeita de lesão corporal culposa. “Uma equipe está investigando para posteriormente serem tomadas as providências cabíveis”. Fonte: G1