CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

EDUCAÇÃO: Pai anda 40 km em bicicleta, todos os dias, para levar filha à escola

Até onde um pai está disposto a ir por seus filhos? Juracir Ferreira Faustino de Souza, desempregado, aliando muita disposição e engenhosidade, adaptou a sua bicicleta como pode. Uma cortina de banheiro, alguma madeira reciclada e uma cadeirinha, foram as peças que Juracir encontrou para proporcionar segurança e conforto à sua filha no longo percurso que faz diariamente. 
“Quero dar a ela o que eu não tive, porque eu não tive essa oportunidade”, isto motiva o pai todos os dias na jornada que começa ainda cedo, às 5h20 da manhã, partindo da zona rural até a escola, no Jardim Cruzeiro do Sul, em São Carlos (SP). O motivo: A filha é muito pequena para andar no ônibus escolar. Com apenas três anos, Maria da Vitória dos Santos Rocha, matriculada no Centro Municipal de Educação Infantil Octávio de Moura, é muito pequena para andar no ônibus sozinha. 

Segundo o secretário de Educação, Nino Mengatti, crianças pequenas não podem embarcar desacompanhadas por uma questão de segurança: "Nós não podemos permitir que crianças com menos de 6 anos viagem desacompanhadas por questões que esses ônibus não têm cadeirinha. É um risco para a criança e a família". Juracir, ainda que desempregado, diz que acompanhar sua filha no ônibus também não é a melhor opção: “Teria que fazer um sacrifício, que é o de ficar o dia todinho com fome na porta do colégio, aí quando ela saísse vir embora junto”.


Enquanto sua filha não completa seis anos, Juraci, Paraibano de nascimento, segue pedalando às margens das estradas, rodovias e percalços que sejam, tudo para garantir o futuro de sua filha: “Não dá certo uma criança fora da escola, se não der certo o ônibus, eu continuo trazendo ela todo santo dia. Tem que ter a escola pra criança”. O caso de Juracir repercutiu após ser divulgado em um grupo do Facebook. A publicação, até o momento, ultrapassava duas mil visualizações e o esforço de Juracir comoveu os moradores da cidade.  Fonte: Diário de Pernambuco