CRIMES

[Crimes][grids]

NOTÍCIAS

[Notícias][stack]

POLÍTICA

[Política][grids]

ESPORTE

[Sportes][stack]

Se Liga Fest

[SE LIGA FEST][grids]

RELIGIÃO

[Religião][grids]

CIDADES

[Cidades][stack]

CULTURA

[Cultura][grids]

TV SE LIGA

CLIP GOSPEL

Ameaçado por torcedores, radialista narra partida agachado em cabine


Carlos Batista, narrador da Rádio Bandeirantes, agachado no estádio em Sorocaba 

Os profissionais que trabalham na transmissão dos jogos por todo o mundo precisam basicamente de uma boa visão do campo para poder trabalhar. Em Sorocaba, no interior de São Paulo, o locutor Carlos Batista, da Rádio Bandeirantes de Campinas, acabou sofrendo com a ira dos torcedores do São Bento, que foi derrotado pela Ponte Preta, por 2 a 1, jogando no estádio Walter Ribeiro.

Posicionado em uma das cabines do estádio, que fica um pouco acima da arquibancada inferior coberta, destinada aos torcedores da casa, o narrador e sua equipe sofreram com os ânimos exaltados de alguns dos são-bentistas presentes no jogo na noite do último domingo. Irritados com a forma "animada" com que o narrador descrevia os lances do time de Campinas, alguns deles tentaram invadir a cabine e chegaram a puxar o narrador por um dos braços. No momento em que o São Bento empatou o confronto, o narrador descreveu os momentos de tensão. Ouça abaixo o áudio original da transmissão.

A torcida do São Bento fica muito próxima das cabines de imprensa no estádio. Não poderíamos fechar o vidro por conta do sinal do microfone do nosso repórter de campo. Os torcedores estavam irritados e xingavam os ponte-pretanos que estavam no setor acima. Quando a Ponte fez o gol, percebi que o torcedor começou a ficar ainda mais irritado. Minha narração é com muita vibração para os times de Campinas. No intervalo, os torcedores me disseram que se eu não narrasse um gol do São Bento da mesma forma, eu iria ver o que ia acontecer. Quando saiu o gol do São Bento, percebi um braço agarrando meu celular e outro tentando puxar minha caderneta. Até perdi meus óculos – descreve o narrador.

Quando saiu o gol do São Bento, percebi um braço agarrando meu celular e outro tentando puxar minha caderneta. Perdi meus óculos...
Batista, locutor da Rádio Bandeirantes de Campinas.

A confusão só terminou quando seguranças da diretoria da Ponte Preta, que assistiam ao jogo em uma cabine ao lado, cercaram o espaço e conseguiram acalmar os torcedores do São Bento.

Foi uma tensão muito grande. Acabei não registrando boletim de ocorrência porque não são torcedores do São Bento, são vândalos que vão ao estádio arrumar confusão. O estádio é municipal e o São Bento não teve culpa alguma – disse Batista.

O São Bento, porém, contraria o discurso do radialista. Presente em uma das cabines ao lado, Marcelo Anderson Coelho, diretor de futebol amador time de Sorocaba, admite que houve confusão, mas que ambos trocaram xingamentos e que em nenhum momento os torcedores tentaram invadir a cabine.

Estava do lado e não vi nada demais. Esse pessoal da Rádio Bandeirantes exagerou. Ninguém invadiu nada, o que houve foi os dois lados xingando um ao outro. Mas em nenhum momento houve agressão e ninguém invadiu. A postura do narrador foi muito infeliz. A diretoria do São Bento tratou muito bem todos os visitantes – relata Marcelo Anderson Coelho.

A derrota deixou o São Bento em situação delicada na luta contra o rebaixamento no Campeonato Paulista. Com 10 pontos, só não está entre os dois últimos colocados porque o São Bernardo, com a mesma pontuação, tem um gol negativo a mais no sado (-6 contra -5). Uma vitória simples, contra o Mirassol, fora de casa, garante o time na primeira divisão. Em caso de empate, terá que torcer para derrota de São Bernardo ou Audax. Caso seja derrotado pelo Mirassol, o São Bento terá que torcer para derrota do time de Osasco e São Bernardo. Fonte:GE